Últimos dias para inscrição no projeto de fruticultura irrigada do Vão do Paranã em Goiás

O prazo final se aproxima para os agricultores interessados em participar do Projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã, que visa transformar a região Nordeste do estado de Goiás em um grande polo de fruticultura. As inscrições encerram-se nesta sexta-feira, dia 26, e oferecem a oportunidade para produtores rurais dos municípios de Flores de Goiás, São João D’Aliança e Formosa se juntarem a este empreendimento.

O projeto, coordenado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado de Goiás (Seapa), em colaboração com a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), tem como objetivo principal a implementação de sistemas de irrigação nas propriedades rurais dessas localidades. Isso não apenas promoverá a inclusão produtiva, mas também impulsionará o desenvolvimento socioeconômico da região Nordeste de Goiás.

O projeto visa especialmente beneficiar produtores de áreas de reforma agrária e comunidades tradicionais, com o intuito de melhorar a qualidade de vida dos agricultores familiares locais e gerar empregos. A fruticultura, com foco na produção de manga e maracujá, foi escolhida devido às características favoráveis da região, como o terreno, o clima e a disponibilidade de água.

Com esta nova etapa do Projeto de Fruticultura Irrigada do Vão do Paranã, que se soma ao projeto piloto realizado com 10 produtores, espera-se cobrir uma área de 296 hectares, a maior parte abastecida pelas barragens do Rio Paranã e Ribeirão Porteira. Esta área tem o potencial de produzir aproximadamente 4,2 mil toneladas de maracujá e 6 mil toneladas de manga por ano, a partir do segundo e terceiro anos de cultivo, respectivamente. Cada produtor tem como meta atingir 28 toneladas por ano, o que pode proporcionar uma receita bruta de R$ 210 mil somente com a produção de maracujá.

Os agricultores que atenderem aos critérios de participação estabelecidos no edital receberão visitas da equipe técnica da Seapa e da Emater, que avaliarão a adequação do produtor e da propriedade com base em critérios técnicos, incluindo a disponibilidade hídrica. Os produtores selecionados receberão assistência técnica da Emater e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Goiás (Senar Goiás) para o manejo da produção, e o Sistema OCB-GO fornecerá apoio para a criação de cooperativas.

Cada propriedade beneficiada receberá um conjunto de irrigação para cobrir dois hectares, com um hectare dedicado à manga e outro ao maracujá, ambos irrigados. O Governo de Goiás fornecerá a estrutura de irrigação, cujo custo será coberto pela Codevasf.

O edital de Chamamento Público nº 002/2023 e o formulário de inscrição estão disponíveis no site da Seapa. Em caso de dúvidas, os produtores podem procurar os escritórios locais da Emater para obter assistência no processo de inscrição. Não perca a chance de fazer parte deste projeto que tem o potencial de transformar a agricultura na região Nordeste de Goiás.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo