Subsídio ao transporte coletivo do Governo de Goiás fica na segunda colocação no Prêmio Boas Práticas

O Governo de Goiás foi agraciado com o 2º lugar no Prêmio Boas Práticas, na categoria “Infraestrutura e Logística”, em virtude do seu programa de subsídio ao transporte coletivo na região metropolitana de Goiânia. Este prestigioso reconhecimento é promovido pelo Consórcio Brasil Central, uma aliança que reúne governadores do Distrito Federal e de seis estados do Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil, nomeadamente Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

O Prêmio Boas Práticas tem como objetivo enaltecer iniciativas que visam aprimorar a gestão pública e a qualidade dos serviços prestados à população. A cerimônia de premiação aconteceu na terça-feira, 23 de janeiro, no Centro Empresarial CNC, em Brasília. O projeto “Inclusão em Movimento: Efetivando a Política Social no Transporte Público da Região Metropolitana de Goiânia” foi agraciado com o 2º lugar por manter inalterada a tarifa do transporte coletivo desde 2019.

A inscrição para o prêmio foi realizada pela Subsecretaria de Políticas para Cidades, vinculada à Secretaria-Geral de Governo (SGG). Os certificados foram entregues ao Superintendente da Região Metropolitana de Goiânia, Ricardo Ferreira de Sousa; à Gerente de Políticas e Programas da Região Metropolitana de Goiânia, Elcileni de Melo Borges; e às Analistas de Projetos Gabriela Cândida Queluz e Rayna Chaves Teixeira.

Sousa expressou sua honra ao representar os colegas da pasta e destacou que o benefício do subsídio ao transporte coletivo tem ganhado reconhecimento em todo o país desde 2022, conquistando outros prêmios similares. Ele enfatizou: “Estamos exportando essa ideia para todo o Brasil, visando evitar que os passageiros paguem preços exorbitantes. Graças ao subsídio, conseguimos manter a tarifa em R$ 4,30.”

O Estado de Goiás destina mais de R$ 12,4 milhões mensalmente para manter o sistema. A tarifa do transporte coletivo, que abrange o sistema único, incluindo o Eixo Anhanguera, é de R$ 4,30 para os usuários, e o subsídio corresponde a R$ 3,2882. O valor total da tarifa é de cerca de R$ 7,58, sendo o restante custeado pelo Governo de Goiás e pelas prefeituras de Goiânia, Aparecida de Goiânia e outros três municípios da Região Metropolitana: Goianira, Senador Canedo e Trindade. Sousa ressaltou que graças ao subsídio, é possível oferecer benefícios à população, como a tarifa social, que garante a gratuidade para idosos e estudantes, entre outros.

A premiação contou com a participação de 139 inscrições na sua segunda edição, sendo a maioria delas apresentada pelo Estado de Goiás, com 31 projetos inscritos. As categorias avaliadas incluíram educação, desenvolvimento econômico, saúde pública, segurança pública e gestão pública, além de infraestrutura e logística.

Goiás conquistou o primeiro lugar na categoria de Educação com o Projeto Estudantes de Atitude. Os vencedores de cada categoria receberam o prêmio de R$ 20 mil do BRB, uma instituição parceira do Consórcio. O grande vencedor geral, o Projeto Plataforma Unificada de Serviços Digitais para o Cidadão Mato-grossense, recebeu um prêmio de R$ 30 mil.

O Consórcio Brasil Central foi estabelecido em 2015, com o objetivo de discutir temas de interesse comum entre seus membros e ampliar a competitividade dos estados participantes e do Distrito Federal.

O então presidente do Consórcio Brasil Central e governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, parabenizou todos os servidores premiados, bem como aqueles que se inscreveram. Ele destacou: “O seu trabalho e competência estão fazendo a diferença e podem transformar a administração pública de forma mais eficaz.” Na mesma terça-feira, o governador Ronaldo Caiado foi eleito como o novo presidente do Consórcio Brasil Central, sucedendo Mendes no cargo.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo