Secretaria de Estado da Saúde distribui vacinas contra HPV e catapora aos municípios goianos

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) começou a distribuir doses das vacinas contra o papilomavírus humano (HPV) e a varicela (catapora) para os municípios de Goiás nesta semana. A falta desses imunizantes ocorreu devido a um atraso no envio por parte do Ministério da Saúde (MS) em 2023, resultando em um desabastecimento, especialmente da vacina contra a catapora, que agora está sendo gradualmente regularizado, conforme informações do MS.

No caso da vacina contra o HPV, o estado recebeu 30 mil doses, a quantidade solicitada para reabastecer o estoque e permitir a distribuição da vacina. Da mesma forma, a vacina contra a varicela, que também estava em falta, foi recebida e será distribuída aos municípios. A superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim, explicou: “Nós iniciaremos a distribuição ainda nesta semana para as regionais e as regionais repassarão aos municípios”.

Ao longo de 2023, o Ministério da Saúde enviou ao estado mais de 202 mil unidades da vacina contra o HPV, embora a quantidade distribuída tenha sido maior (221 mil) devido ao estoque remanescente de 2022. Já a vacina contra a varicela tem sido enviada em quantidades reduzidas desde maio do ano passado, com meses em que nenhuma dose foi enviada. A última remessa de dezembro continha apenas 5 mil doses, enquanto a necessidade mensal é de 17 mil doses.

No caso da varicela, o MS enviou 12 mil unidades para Goiás, e a distribuição já começou na região metropolitana de Goiânia. A previsão é de que, a partir do dia 29 deste mês, as doses também sejam distribuídas aos demais municípios do estado. A superintendente da SES destacou que, até o meio da próxima semana, todos os municípios terão essas doses disponíveis em suas salas de vacinação.

Além das vacinas contra varicela e HPV, o estado possui estoques de outros imunizantes que fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação, incluindo vacinas contra difteria, tétano, febre amarela, antirrábica, tríplice viral e COVID-19 para crianças acima de 5 anos. No entanto, desde outubro de 2023, o estado enfrenta a falta do imunizante contra Hepatite A devido à falta de envio pelo Ministério da Saúde, com a expectativa de regularização dos envios em 2024.

A superintendente enfatizou que, embora não seja recomendado interromper o esquema vacinal devido à falta temporária de imunizantes, isso não prejudica a resposta imune. Portanto, é fundamental que os pais ou responsáveis entrem em contato com seus municípios para saber onde podem atualizar o cartão vacinal de suas crianças.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo