Brasil conquista novos horizontes: Abertura de mercados na Colômbia e Japão impulsiona agronegócio nacional

O secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura e Pecuária, Roberto Perosa, anunciou com entusiasmo a abertura de seis novos mercados para o agronegócio brasileiro. Dentre esses, dois foram destinados à Colômbia e quatro ao Japão, marcando uma significativa expansão nas fronteiras comerciais.

No que se refere à Colômbia, o Brasil agora poderá exportar farinha e óleo de peixe destinados à alimentação animal, após a certificação fitossanitária ser encaminhada pelo Instituto Agropecuário Colombiano (ICA) ao Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) no dia 27. A Colômbia, terceiro maior mercado para a farinha de origem animal do Brasil, mostra-se promissora, especialmente considerando que 67% dos lares colombianos possuem pelo menos um animal de estimação, segundo o Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE).

Para o Japão, as boas notícias vêm na forma da retomada das exportações de carnes enlatadas bovina e suína, bem como de extratos de carne bovina e suína, após uma suspensão que perdurou por oito anos. A expectativa é que as exportações atinjam seu potencial máximo já em 2024, impulsionando ainda mais o setor agropecuário brasileiro.

O secretário Roberto Perosa destacou que essas novas oportunidades não apenas gerarão renda e empregos, mas também contribuirão para a melhoria da qualidade de vida da população e para o aprimoramento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Ele enfatizou que o governo federal tem como meta estimular os produtores nos próximos dez anos, resultando em um aumento significativo na contribuição do agronegócio para o Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

O trabalho conjunto entre o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e o Ministério das Relações Exteriores (MRE) foi essencial para alcançar esses resultados, que representam um marco para o Brasil no cenário internacional. Desde o início de 2023, o país conquistou a abertura de 71 mercados em diversas regiões do globo, consolidando sua posição como protagonista no comércio internacional.

No que tange às exportações brasileiras do agronegócio, os números são expressivos. Entre janeiro e outubro de 2023, atingiram a marca recorde de US$ 139,58 bilhões, com um aumento de 3,0% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os setores que mais contribuíram para esse crescimento foram o complexo soja, o complexo sucroalcooleiro e os cereais, farinhas e preparações.

A Ásia desponta como o principal destino das exportações do agronegócio brasileiro, totalizando US$ 74,60 bilhões, seguida pela União Europeia, com US$ 18,43 bilhões. A China se destaca entre os países compradores, representando um expressivo montante de US$ 51,10 bilhões em exportações, solidificando sua posição como parceiro-chave para o agro brasileiro.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo