Produção industrial termina 2021 com crescimento em 9 de 15 localidades pesquisadas

De acordo com a Pesquisa Industrial mensal (PIM Regional) divulgada hoje (09/02) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção industrial cresceu 3,9% em 2021. Nove das 15 localidades analisadas tiveram crescimento no ano passado, de acordo com os resultados de dezembro.

“2021 terminou com nota positiva, mas oscilou muito ao longo dos meses. No primeiro semestre, a trajetória aumentou mais, com ganho acumulado de 13%. Porém, no segundo semestre, houve dificuldades respiratórias e a produção apareceu Série A de declínios”, disse o gerente de pesquisa Bernardo Almeida em relatório. A produção industrial aumentou em 10 das 15 regiões pesquisadas de novembro a dezembro.

Os destaques em 2021 são os estados de Santa Catarina (10,3%), Minas Gerais (9,8%) e Paraná (9%), com o primeiro crescimento absoluto, além disso, São Paulo (5,2%) é o estado mais importante no mundo. mais influente. A expansão em 2021 deve-se principalmente ao tamanho e peso do Parque Industrial de São Paulo.

Onze das 18 atividades da indústria paulista cresceram durante o ano, com foco no setor de veículos, sendo o crescimento em caminhões, automóveis e reboques os mais relevantes. “A indústria de máquinas e equipamentos também contribuiu com o aumento da produção de escavadeiras, rolamentos de equipamentos industriais e carregadeiras”, disse Almeida.

Em Santa Catarina, a indústria do vestuário impulsionou o crescimento, com o aumento da produção de camisas e blusas femininas de malha, além de vestidos de malha, segundo o IBGE. A metalurgia também colaborou, com aumento de artefatos e peças de ferro fundido.

O setor metalúrgico também teve um segundo impacto nacional positivo em Minas Gerais. A indústria metalúrgica mineira aumentou a produção de ferronióbio e a siderurgia. Em 2021, a indústria extrativa também está relacionada à mineração, com maior produção de minério de ferro, mas o principal impacto é a indústria automobilística, com caminhões tratores para reboques e veículos para transporte de mercadorias impulsionando a produção dessa atividade.

O estado do Paraná ocupa o terceiro lugar em termos absolutos e tem o terceiro maior impacto nos resultados anuais nacionais. A produção de colheitadeiras e tratores agrícolas no Paraná tem aumentado, impulsionada pela indústria de máquinas e equipamentos. O segmento de veículos, com o aumento da produção de carretas e tratores para caminhões e automóveis, também contribuiu para o crescimento do estado.

Rio Grande do Sul (8,8%), Amazonas (6,4%), Espírito Santo (4,9%) e Rio de Janeiro (4%) também apresentaram taxas de positividade superiores à média nacional (3,9%), enquanto o Ceará (3,7%) a completam o grupo local que aumentou a produção no índice acumulado do ano.

A Bahia registrou a maior queda (-13,2%) do índice acumulado no ano. “O impacto imediato de uma montadora deixando o estado em janeiro do ano passado afetou todo o ano”, disse o analista da pesquisa. O setor de derivados de petróleo também pesou negativamente no desempenho do setor baiano, que apresentou menor produção de óleo combustível, diesel, nafta petroquímica, parafina e querosene. Nordeste (-6,2%) e Goiás (-4,0%), Pará (-3,7%), Mato Grosso (-1%) e Pernambuco (-0,4%) também foram incluídos nos indicadores acumulados Juros negativos aparecem de janeiro de 2021 a Dezembro 2021.

 

Informações: Agência Brasil

5/5 - (1 vote)
Mostre mais

# Ana Rodrigues

Ana Rodrigues é colunista convidada do Rio de Janeiro, especialista em economia, mercado e mundo. Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo