conecte-se conosco

Destaque

Goiânia – Médico diagnosticado com coronavírus estava trabalhando em hospital

Publicada

em

Os conselhos de Medicina e Enfermagem estão investigando denúncias relacionado a médico diagnosticado com coronavírus que estava trabalhando em um hospital particular de Goiânia. De acordo com a denúncia, o médico teria infectado funcionários e uma idosa que chegou a falecer com Covid-19.

Conselho Regional de Medicina

Desde 24 de março, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) mantém um canal direto para o recebimento de informações sobre a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e falhas nas condições de funcionamento em unidades de saúde goianas neste período de pandemia e tem fiscalizado regularmente todas as denúncias recebidas. Mas, o Cremego desconhece essas denúncias envolvendo médicos e pacientes do Hospital Jacob Facuri. A partir desta informação da imprensa, o Conselho fará uma vistoria na unidade para verificar as condições de funcionamento e de trabalho dos médicos.

Conselho Regional de Enfermagem

O Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO) informa que recebeu denúncia sobre solicitação de desinfecção de UTI do Hospital Jacob Facuri e de profissionais de enfermagem testados positivos para Covid-19 ainda em posto de trabalho. O órgão irá até o local averiguar os fatos. Entretanto, a data não pode ser informada para garantir o caráter de fiscalização.

Sobre denúncia de médico testado positivo para Covid-19 e exercendo suas atividades na unidade, o Conselho encaminhou na última segunda-feira, 4/4, ofício para o Conselho Regional de Medicina de Goiás solicitando averiguação e medidas cabíveis.

Hospital Jacob Facuri

A paciente em questão foi admitida no hospital com quadro infeccioso pulmonar e urinário. Durante a internação evoluiu com a Síndrome Respiratória Aguda sendo realizada tomografia de tórax que evidenciava sinais sugestivos de COVID-19. Foi prontamente incluída no plano de contingência do hospital para COVID-19, sendo iniciado tratamento conforme os protocolos do Ministério da Saúde e OMS. Como não haviam leitos de isolamento disponíveis pois já estavam ocupados, a paciente foi regulada e encaminhada ao Hospital de Campanha.

Reitero que o caso foi notificado a vigilância sanitária seguindo todos os critérios recomendados e a família plenamente orientada. Uma vez que para o Hospital de Campanha só vão pacientes suspeitos ou confirmados, e até o momento da transferência não tínhamos o resultado positivo para o coronavírus, pois estava em andamento.

Reafirmamos o nosso compromisso com a transparência e uma assistência de qualidade para todos os pacientes.

Diretoria Médica

Redação do Jornal Opinião Goiás. E-mail: [email protected]

Continue lendo
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário em Login

Deixe uma resposta