Connect with us

Destaque

Jornal de Goiânia – OMS pressiona para manter laços com os EUA ‘generosos’, apesar da saída de Trump

# Jornal Opinião Goiás

Published

on

Jornal de Goiânia - OMS pressiona para manter laços com os EUA 'generosos', apesar da saída de Trump

O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) fez elogios na segunda-feira (01/06) a contribuição “imensa” e “generosa” dos Estados Unidos à saúde global, em um esforço para salvar as relações depois que o presidente Donald Trump afirmar que estava cortando laços com o Agência da ONU.

Acusando-o de ceder à China e ignorar uma resposta inicialmente secreta ao surto do coronavírus, Trump informou na sexta-feira que estava encerrando o relacionamento de Washington com a OMS.

Mas o chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou em entrevista à imprensa on-line que espera que sua organização possa continuar sua colaboração de longa data com os Estados Unidos.

“A contribuição e a generosidade dos Estados Unidos para a saúde global ao longo de muitas décadas foram imensas e fizeram uma grande diferença na saúde pública em todo o mundo”, enfatizou ele.

A China reagiu furiosamente à decisão de Trump, chamando-a de política egoísta e petulante por um governo dos EUA “viciada” em deixar órgãos e tratados internacionais.

Tedros, disse que só estava sabendo da decisão dos EUA pela imprensa, sem comunicação formal ainda do governo de Trump. Ele se recusou a comentar a outras perguntas sobre a posição dos EUA.

RISCO NOS PROTESTOS DOS EUA

Questionada sobre os riscos potenciais à saúde causados ​​por protestos que surgiram nos Estados Unidos por causa do racismo, outra autoridade da OMS, epidemiologista Maria Van Kerkhove, informou que o contato próximo pode aumentar o risco de disseminação do coronavírus.

Os protestos surgiram nos Estados Unidos após a morte de George Floyd, na semana passada, sob custódia policial, levando milhares às ruas e aumentando a sensação de crise, já que o país já enfrenta o pior surto de coronavírus do mundo.

Na entrevista, a cientista-chefe Soumya Swaminathan esclareceu que a OMS deveria ter informações suficientes em 24 horas para decidir se continuaria a suspender os ensaios com a hidroxicloroquina.

Trump tem sido um dos promotores do medicamento anti-malária para ajudar a combater o coronavírus, apesar das advertências médicas sobre os riscos associados.

Com muitos países facilitando os bloqueios à medida que a taxa de novos casos de Covid-19 diminui, o especialista em emergências Mike Ryan informou que era “louvável” ver as economias sendo retomadas, mas ainda era necessária uma abordagem “gradual”.

Redação do Jornal Opinião Goiás.

Continue Reading
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

TV Opinião Goiás