conecte-se conosco

Coluna Dra Eliza de Oliveira

Geriatria Goiânia – Quando a dor é considerada crônica em idosos?

Publicada

em

Geriatria Goiânia - Quando a dor é considerada crônica em idosos?
Imagem/Freepik

A dor é considerada crônica quando recorre ou persiste por mais de 3 meses, quando persiste após 1 mês de resolução de uma lesão tecidual aguda ou quando acompanha uma lesão que não pode ser curada.

 

A dor crônica deve ser sempre valorizada e tratada, jamais subestimada. James Campbell (1996, Estados Unidos) nomeou a dor crônica como quinto sinal vital, dada o impacto que causa na vida de uma pessoa e também a nível de saúde pública.

 

A dor crônica pode afetar qualquer pessoa, independentemente da idade, sexo ou raça. A prevalência é maior nas mulheres e na população idosa. Isso ocorre em consequência do aumento das doenças crônicas á medida que envelhecemos, como as doenças osteomusculares e câncer.

 

A dor é experimentada e interpretada de forma individual. Pessoas com a mesma condição física podem relatar dor com diferentes características e uma mesma pessoa pode descrever sensações diferentes ao longo do tempo. A dor física sofre interferência do estado social, psicológico e espiritual da pessoa.

 

A dor pode gerar incapacidades e limitação funcional, com prejuízo à independência do idoso. Com isso, o sentimento de inutilidade, a depressão e o isolamento social são sérias consequências da dor crônica.

 

Por isso, a abordagem da dor não deve se limitar ao tratamento medicamentoso. Por mais medicamentos que existam, eles podem ser insuficientes se não houver uma investigação criteriosa da causa física, das comorbidades e da história de vida do idoso. Muitas vezes é necessária a intervenção de uma equipe multiprofissional, envolvendo o geriatra, o psicólogo, o fisioterapeuta e outros profissionais especializados.

 

Projeto Cuidar 

Geriatra 

Dra Eliza de Oliveira Borges

CRM-GO 14388 RQE: 9751

 

Contato: (62) 3218-5034

Endereço: Viva Bem – Rua 132, nº 159, Setor Sul – Goiânia – Goiás.

Site: https://geriatriagoiania.com.br

 

Sobre a Dra Eliza de Oliveira Borges 

– Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Goiás;

– Residência em Clínica Médica e Geriatria pelo Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO);

– Titulada em Geriatria pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG);

– Pós-graduação em Cuidados Paliativos pelo Instituto PalliumLatinoamérica / Medicina Paliativa, Buenos Aires- Argentina;

– Integrante do Núcleo de Apoio ao Paciente Paliativo (NAPP), Hospital Alberto Rassi- HGG;

– Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – Seção Goiás (gestão 2020-2022)

Dra. Eliza de Oliveira Borges é geriatra e fundadora do Projeto Cuidar – Geriatria Goiânia (https://geriatriagoiania.com.br). CRM-GO: 14388 RQE: 9751. Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia - Seção Goiás (gestão 2020 - 2022). Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo, sendo de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Continue lendo
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário em Login

Deixe uma resposta

TV Opinião Goiás