Especial com Alcivando Lima – BASTA! JÁ NÃO AGUENTAMOS MAIS

Os poetas odeiam o ódio e fazem guerra à guerra. Pablo Neruda

— Fico terrificada toda vez que olho para a tela duma tevê e de imediato me vem um gosto de zinabre na boca.

— Tu te estremeces por que mulher? Andas vendo filme de terror?

— Inda fosse, meu lindo! Nos filmes sempre aparece um lascado dum herói vestido de azul sob uma capa esvoaçante, cueca vermelha pro riba da calça e salva as lindas donzelas das garras dos comunistas desgraçados. O que vejo agora é doído de se ver. Aqui no nosso Brasil a cada minuto um machão esfaqueia ou esmurra uma mulher.

— Lá fora o pau tá comendo também, minha santa. Tem um tal de Putin, manequim do satanás, que num pode ver um mosquito bater asas que manda meter bala. O peso pesado ataca cruelmente a Ucrânia, peso mosca, e sua gente perambula como no “O Navio Negreiro” de Castro Alves: “Donde vem?…Onde vai?… Das naus errantes quem sabe o rumo se é tão grande o espaço?”. Putin pela de medo dos gringos fincarem uma base militar na Ucrânia e de lá fazer chover bombas que derretem gente e não derrubam um só barracão.

— Ucrânia, longe como o diabo, fica lá na beira do fim do mundo! Falaram-me que a Nau Catarineta, desgovernada, bateu lá e voltou.

— Possivelmente que sim. Lá tem ou tinha um mar de pura negritude e parte dele veio escorrendo mundo afora até chegar à Amazônia já com o nome de Rio Negro e de água docinha.

— E por que o doido do Putin anda matando gente que nunca lhe fez mal?

— A Ucrânia é riquíssima e o ganancioso Putin quer expandir seus domínios e, como ele mesmo disse, não quer saber de ninguém por perto, principalmente da raça morfética dos americanos.

— Ele num tá errado não, uai! Deixar o inimigo ficar de grito? O bicho tem que mostrar força, balangar a moita, mostrar muque e dizer pro adversário: aqui procêis, ó!

— Concordo, contudo um chefão devia chamar o outro pros tapas, com um ofendendo a mãe do outro e, como sempre acontece, um terceiro chega pra apaziguar (presidente dos EUA) colocando a mão entre os dois e falando: Quem for mais macho cospe aqui e a plasta de cuspe prega na cara do outro e ninguém morre em bombardeios. Concordas?

— Concordo. Os sabidos doutores estão cansados de explicar o porquê da guerra, mas, eu, coió de argola, não entendo lhufas. Também num sou tão quarta-feira pra não tencionar que tem gente bamburrando ao vender armas, aumentar o preço do petróleo e bagunçar a vida do planeta em troca de trinta dinheiros, com os homens matando-se uns aos outros a mando de um chefe contrariado nas suas aspirações de poder e riqueza sem limites. Mas, deixe estar, a decrepitude vão alcançá-los e seus despojos servirão de importante fonte de cadáveres para as escolas de medicina e, quando forem para os seus túmulos, tornar-se-ão inesgotável fonte de proteína para as larvas.

5/5 - (5 votes)
Mostre mais

Alcivando Lima - Opinião Leitor

Alcivando Lima é escritor. Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo