conecte-se conosco

Brasil

Jornal Opinião Goiás – São Paulo recebe o maior festival de robótica do Brasil

Publicada

em

Os desafios do dia a dia nas cidades são a inspiração de mais de 1.500 jovens de escolas públicas e particulares de todo o país que se encontram nas arenas do maior festival de robótica do país, o Festival SESI de Robótica, que ocorre de hoje (6) até domingo (8) no Pavilhão da Bienal, em São Paulo. O evento será aberto ao público durante todos os dias.

Os estudantes de 9 a 18 anos fazem parte de 168 equipes que aplicaram em seus robôs conhecimentos de ciências, matemática e outras disciplinas ligadas à tecnologia. Eles estão distribuídos por 21 mil metros quadrados em três andares do espaço, onde participam da competição em três diferentes modalidades: a FIRST LEGO League, a FIRST Tech Challenge e a F1 in Schools (Fórmula 1 nas escolas).

Organizado pelo Serviço Social da Indústria (SESI), o Festival SESI de Robótica classifica as melhores equipes para torneios internacionais. Entre eles, o World Festival, a copa do mundo de robótica que será realizada em abril, em Houston (EUA). O Festival é dividido nas seguintes categorias:

FIRST LEGO League

Reunidos em equipes de dois a dez participantes, os estudantes precisam elaborar um projeto buscando soluções para problemas do dia a dia da sociedade moderna. O tema desta temporada, City Shaper (Cidades Inteligentes), desafia os jovens a pesquisar formas de melhorar a vida das pessoas nas cidades. Além do projeto de inovação, os participantes precisam construir um robô de LEGO que é programado para realizar uma série de missões, e também são submetidas a outras categorias de avaliação como Design do Robô, que envolve Programação e, conceitos de trabalho em equipe, respaldadas pelos valores e princípios da competição.

Ao todo, 100 equipes de todos os estados do Brasil participam da competição nesta categoria. Elas foram selecionadas após a realização de diversos torneios regionais, que vêm sendo realizados desde dezembro do ano passado. Os quatro primeiros colocados irão representar o Brasil no torneio internacional, realizado em abril, em Houston (EUA).

A estudante Anna Clara, de 14 anos, aluna do 9° ano SESI de Taguatinga (DF) faz parte da Equipe Albatroid “Planejamos cada parte do motor, onde ficam os sensores, os motores, para que ele seja mais eficiente. E montamos uma estratégia para ele cumprir cada missão”. Os robôs devem ajudar um deficiente pela cidade, por exemplo, ou limpar uma rua.

O professor André Alcântara da Silva, técnico da Equipe Albatroid explica sobre a utilização da robótica na educação. “Essa é uma metodologia nova que trata algo muito antigo que é exigido na educação como as metodologias ativas e a robótica trabalha todo esse âmbito e trabalha a criatividade, matemática, ciências, engenharia, onde o aluno é o criador e o protagonista do ensino”.

Além das competições nas arenas, as escolas também apresentam projetos de inovação da temporada City Shaper – cidades inteligentes e sustentáveis.

Um deles é o Nanomasters, da Escola Internacional de Goiânia. Os alunos criaram um sensor de alagamentos. O projeto Notifify é um sistema de sensores medidores de níveis de água nas vias com risco. “Ele funciona com um conjunto de sensores que vai transmitir as informações para aplicativos de trânsito e placas inteligentes no começo da via e em pontos estratégicos”, explicou o estudante Tomás Pereira Valsecchi, um dos participantes da equipe que, além do Festival, garantiu vaga no Internacional Tournament of Robotics 2020, que acontecerá em junho na Argentina.

FIRST Tech Challenge

O SESI é o operador oficial da modalidade desde 2019, a FIRST Tech Challenge, que desafia estudantes do ensino médio a projetar, programar e construir um robô que seja capaz de realizar tarefas. Para isso, eles precisam aprender a trabalhar com máquinas e circuitos, como se fossem engenheiros de verdade.

Partipante da Equipe Geartech, do SESI de Goiânia, o estudante Eduardo Lemoes Ribeiro, de 17 anos, explica que nesta competição o trabalho é diferente da First Lego League. “Aqui a gente tem que fazer cada peça de acordo com a necessidade do nosso robô e da nossa estratégia. É um trabalho mais manual na criação do robô e também contamos com patrocínio para a montagem”.

Ao todo, 35 equipes de 18 estados brasileiros participam da disputa este ano.

F1 nas Escolas

Voltado para estudantes de escolas SESI, com idades entre 9 e 19 anos, o desafio desta categoria é reproduzir a realidade de uma escuderia de Fórmula 1, idealizadora da competição. Além de criar e montar um carrinho que vai competir em uma pista de corrida em miniatura, os estudantes também precisam formar uma escuderia, ir atrás de patrocínio e criar um projeto social. Ao todo, 32 equipes compostas por estudantes da rede SESI de 18 estados brasileiros participam da disputa.

Atividades abertas ao público

O Festival ainda oferece diversas atividades abertas ao público, como a área de experimentação livre, com programação que busca engajar o público em atividades de produção de objetos e/ou sistemas por meio do exercício da criatividade, da exploração livre, da tentativa e erro e do aprender fazendo.

Na área Desmonte e crie o público poderá aprender a abrir brinquedos eletrônicos que não são mais utilizados, conhecer seu funcionamento e reutilizar suas peças na área de livre experimentação para a produção de outros objetos. Para participar dessa atividade, é necessário trazer um brinquedo que seja movido a pilha, que se movimente e que possa ser aberto e desmontado, como por exemplo: carrinhos de controle remoto, robôs, bonecos, e ursos de pelúcia com movimento.

As oficinas são desenvolvidas por artistas e especialistas da área de tecnologia em conjunto com a equipe do Programa ACESSE, partem da experimentação para a construção de conhecimentos e reflexões sobre diversos temas, articulando-os com a prática pedagógica e a Base Nacional Comum Curricular.

EBC. Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo, sendo de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Continue lendo
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário em Login

Deixe uma resposta

TV Opinião Goiás