conecte-se conosco

Brasil

Jornal Opinião Goiás – Desafios das áreas de “Segunda Linha de Defesa e Controles Internos” são tema de encontro da Rede Girc

Entre os mais de 250 participantes do 25º encontro, estavam representantes das administrações direta e indireta, da academia e da sociedade civil

O 25º encontro da Rede Governança, Integridade, Riscos e Controles Internos (Rede Girc), realizado teve participação recorde desde a criação da rede colaborativa. Realizada pela internet, a reunião debateu o tema ‘O papel da segunda linha de defesa para os controles internos das organizações em ambiente de elevada instabilidade’.

Os 254 participantes simultâneos do encontro representam a disseminação das boas práticas pela rede colaborativa, que aumenta sua capilaridade já que as reuniões da Rede são gravadas e podem ser assistidas posteriormente no canal do Ministério da Economia no Youtube.

“A prática que não é precedida pela reflexão tende a ser vazia e desprovida de propósito e significado. A Rede Girc é um dos espaços públicos que propicia a construção cognitiva associada à prática por aproximação dos estudos de caso e dos exemplos que são levados pelos próprios órgãos e entidades”, destacou o mediador da reunião e assessor especial de Controle Interno do Ministério da Economia, Francisco Bessa, ressaltando a importância da cooperação realizada no âmbito da Rede.

A Rede Girc não contempla apenas órgãos públicos. Segundo Bessa, “a sociedade também é beneficiada, na medida em que os profissionais que atuam nas áreas de Integridade, Risco e Controle, passam a ter um espaço destinado ao questionamento crítico, à reflexão e à ação”. Para o assessor, “a gestão dos riscos, da integridade e dos controles não deve ser resultante de mero voluntarismo”. E completou: “A Rede Girc oferece espaço aberto, livre e gratuito, no qual a vontade de fazer converge com a instrumentalização e a experiência do coletivo, que é sempre muito maior do que a soma das partes”.

O encontro

A mesa sobre os desafios das áreas chamadas de “Segunda Linha de Defesa e Controles Internos” – que são os órgãos responsáveis pela gestão de riscos e pela condução dos programas de integridade – foi composta pelo diretor de Auditoria de Estatais da Controladoria-Geral da União (CGU), Tiago Lucas; pelo auditor federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da União (TCU), Carlos Alberto Sampaio de Freitas; e pelo autor e especialista no tema Controle, José Glock.

A Rede tem natureza de fórum consultivo em prol do interesse público. É liderada pelo Ministério da Economia, em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU), e aberta ao setor público e à sociedade. É uma rede colaborativa aberta, que difunde boas práticas e promove debates sobre os temas de Governança, Integridade, Gestão de Riscos e Controles Internos no Setor Público. Atualmente, é composta por cerca de 100 órgãos e instituições da administração direta e indireta.

Classificar post