Especial com Alcivando Lima – TEM TRÊS SEGUNDOS PRA RESPONDER E JÁ SE PASSARAM DOIS E MEIO

“A crueldade é um dos prazeres mais antigos da humanidade.” Friedrich Wilhelm Nietzsche

— Já vistes a cara de capota choca do Putin? Vistes também que ele mente pra caramba e que coça de vontade de quebrar a cara de todo mundo; mente ao dizer que moverá mundos e fundos para manter a paz e imediatamente joga suas armas para matar inocentes, tudo em nome da honra, da sua honra.

— Honra? Você disse salvar a honra, foi?

— Eu não! Quem disse foi o lascado do Putin, que danou-se a semear a morte com sua guerra, provocando ridimunho na alma de cada um de nós.

— Te ouvindo citar honra, me alembrei dum respeitável fazendeiro (no tempo em que se amarrava cachorro com lingüiça) se queixando dum sujeitinho que passava nos peitos tudo quanto era de donzela das redondezas e desta vez fora sua linda filha e esta não podia ficar mal falada na boca escumante daquelas morceguentas que afirmavam que a menina revirava o branco dos zolhos toda vez que contava seus pecados pro padre Maneco, também aquele lasca de padre que, de tão bonito parecia um prinspe encantado e… cala-te boca! — Não se espeta a honra dum chefe de família na ponta dum cacete e larga pra lá não! — Rosnou o abespinhado pai. Entre dois soldados, o safado, com cara de vaca que esconde o leite, foi trazido à autoridade e esta, por dá cá aquela palha, sentenciou: — Tu tem três segundos para responder e lhe aviso que já se passaram dois e meio: Casa ou paga a honra? — Tempo exato para lembrá-lo de que poderia perder os colhões já que o enfurecido pai pegava, derribava e capava cachaço e touro valente e também estava careca de saber que, casando, significava o mesmo que comprar um ônibus pra nele zanzar sozinho; sentindo na nuca a quentura do olhar das autoridades sobre sua modesta figura de arrombador de xibiu, sopesou ser menos traumático pagar a desgraça da desonra ou a graça da honra. Sob o cenho franzido das autoridades, da austeridade do pai e da gastura da filha (uma flor de damasco) que contemplava tudo aquilo com uma amargura do cão, (antevendo que seu destino será o de perambular de puteiro em puteiro), ajustado ficou que o rompedor (nesta hora apresentando um ar desgraçadamente esquecido), deverá amontoar na sede da fazenda, tantas cabeças de gado, tantos capados, um cavalo, um jumento e uma égua, cinco carros de milho, tantos sacos de arroz e feijão, três tachos de cobre e mais umas franguinhas de terreiro, coisa de pouca monta.

— Que é que isso tem a ver com o bosta do Putin?

— Arrepare nesse troço de honra, arremeta-se para a cara de tacho do Putin, analise as aglomerações de mulheres e homens nos salões chiques em meio a comes e bebes votando “moções” contra Putin. A Ucrânia, segundo me contam, é uma região riquíssima em minérios, gás natural, petróleo e demais modernidades que o mundo usufrui e já pertencera à Rússia, mas o cara de caranguejo do Putin, em nome da honra, quer tudo de volta e o povo de lá embirrou e disse: Aqui não cabritim, vá mamar nos peitos da puta que te pariu, tá ouvindo? Daí graciosa leitora e gentil leitor, o nobilitado fazendeiro faliu e a filha (agora muito rica) o recolheu e o abrigou em um dos seus puteiros (tem oito); agarraram o covarde despedaçador de virgens vestais na curva de um rio, doparam-no e ao acordar viu que estava sem sua capanga e hoje vive amancebado com um daqueles que o escoltara na memorável refrega da honra. Os inumeráveis filhos e filhas da rosa de damasco, (paria sete a cada cinco anos), esparramaram-se pelo Brasil e mundo afora, filiaram-se a partidos políticos e tornaram-se terríveis parlamentares cleptocratas a tramar terríveis conchavos e acho, (não confirmo), que um deles, (escritim a cara do Padre Maneco), foi ou é presidente de um dos muitos países desse mundão de meu Deus.

5/5 - (1 vote)
Mostre mais

Alcivando Lima - Opinião Leitor

Alcivando Lima é escritor. Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo