Especial com Alcivando Lima – O BELO

“Nunca confies no conselho de um homem em apuros”. Esopo – (escritor da Grécia antiga).

As contrações intestinais eram um mal passageiro, achava que era efeito do sedentarismo. Ultimamente — não se sabe a causa — passou a ter distúrbios abdominais assim que trupica nalguma contrariedade. Se isto ocorrer, pronto, lá-é-vem gases com rugidos e blateros pusilânimes. Ex-atleta, com um histórico de quase campeão por movimentar a cabeça pra cima e pra baixo por umas sete, oito vezes. Ouvia — de mal grado — dos males causados ao obstacular a saída de gases, num desprezo da ação do organismo que está tentando ajeitar as coisas nas recônditas entranhas. Além do desconforto de solta não solta, a dor pode aparecer no tórax e ser confundida como um infarto do miocárdio. Empacava diante de um espelho para alisar a vasta cabeleira, achando-a linda demais, mas sua sedosa pele, contudo, estava indo pro ralo num engruvinhamento a passos largos. A feiúra é uma coisa tóxica, cheira inhaca de roupa usada e eu, repensou ele, sou bonito demais pra ser um feio qualquer. Tornou-se assíduo frequentador de uma barbearia que ostentava um letreiro chique: salon de coiffure que cobra uma grana preta por um corte rafameia e outro tanto por uma água de cheiro com aroma de pau-terra e dizem que, quem a usa, adquire uma masculinidade refinada, afora a elegância marcante que centuplica as chances de abater presas incautas.

Seu dardejante olhar era por demais sedutor, mesmo com os atormentadores e gorgolejantes gases insistindo em sair de qualquer jeito. O suplício de retê-los equivalia a uma escalada ao Everest e uma vez soltos, uma repugnante ofensa olfativa empesteava o ar, vindo sempre num assobiado agudo, de esvaziamento que a molecada faz com um papo de anjo.

Classe média baixa com carro velho quebrado tem a desdita de embarcar nesses confortáveis ônibus que circulam na capital e adjacências. Assim que consegue entrar, o cheiro de povo abarca-o num amplexo anojoso que até pensou em cair fora daquela desgrama quando uma deusa, lá nos fundos da baiúca, acena pro seu lado. Movendo lentamente a cabeça e olhando de esguelha não viu manifestação de ninguém. Volta a encarar a diva que freneticamente acenava e atirava flechas de cupido que acertaram seu coração e se fosse um Romeu Montecchio — suspirou — aproximar-se-ia e dir-lhe-ia: “Aqui me tens, ó doce e casta Julieta Capuleto,”. Estremecendo como águas drapejantes, rufou seus tambores e partiu flutuando rumo à sua Dulcinea Del Toboso. Nem mesmo abriu a boca já aquela Afrodite de lábios carminados levantou-se e falou-lhe que quando o viu entrar ficou com uma dó dos diabos e fez de tudo pra ele perceber que ela queria acabar com seu sofrimento com ele sentando-se ali, no lugar dela, coitadim. Pronto, veio o nervoso e a flatulência anunciou-se com borborigmos rugientes e os sibilos, os assovios, os estrondos ventando descontroladamente retumbavam, bramiam, corcoveavam e ecoavam dentro da lata velha e o odor mefistofélico alastrou, dispersou e esculhambou com o restinho de oxigênio que por acaso entrou numa janela quebrada.

5/5 - (1 vote)
Mostre mais

Alcivando Lima - Opinião Leitor

Alcivando Lima é escritor. Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo