Especial com Alcivando Lima – LA EVÉM BLÁBLÁBLÁ

“Há duas maneiras de ser enganado. Uma é acreditar no que não é verdade; a outra é recusar a acreditar no que é verdade”.   Soren Kierkegaard – 1813/1855 – (filósofo, teólogo e poeta Dinamarquês).

Há décadas que vem sentindo um travo na boca, uma angustia de levá-lo a agir como se estivesse no meio dum maremoto avultando naufrágio, ensejando disparar mensagens metidas em garrafas para lançá-las ao mar. Em tempos idos, as rádios o aguilhoavam com discursos dos ufanistas, o rame-rame de apertar o cinto, de ter aquilo roxo, de morrer pela pátria.

Hoje se exaspera com o bombardeamento advindo da poderosa rede social. Na vida real, o tropel dos arfantes candidatos brotando aos borbotões de todos os lados com a fúria da eloquência escumando os cantos da boca e os olhos perscrutadores captando reações de cada eleitor e a excitação se apodera deles de tal modo que o candidato (seja que partido for) cria uma atmosfera álacre disparando orações grandiloquentes e, numa persuasão tosca, assume que vai acabar com a pobreza que envergonha nossa pujante nação, mãe de filhos igualmente pujantes; prometo — inicia todo verboso — que todo cidadão terá ensino gratuito de deixar roxinho de inveja os americanos, os europeus e os asiáticos. Quem não estudar/trabalhar e ficar explorando pai, mãe, avô, avó, vai cair na taca até largar a catinga da sem-vergonhice. Segurança? O povo vai dormir de botina e de janela aberta porque meus especialistas darão a paz e a tranqüilidade de por no chinelo os agentes do FBI. Bem estar?… Ah o bem-estar… Será meu carro chefe! Ninguém ficará sem bem-estar e com um trabalho que lhe proporcione renda para sustentar a família e morar numa big duma casa de três ou quatro suítes e mais um espaço ecumênico para a prática da serenidade e reflexão…, tão me entendendo? O único perigo de deixar a janela aberta será a invasão da desgraça da muriçoca que poderá trazer a dengue, a chicungunha, a zica, a maleita, a febre-amarela e outras doencinhas à toa, afora a coceira braba que provoca os calombos, mas, batalharei, dia e noite, para implementar a tão almejada segurança além de proporcionar transporte decoroso, honesto e honrado para o trabalhador, para a dona de casa e para o estudante que poderão ir e voltar num confortável veículo climatizado, tão me ouvindo? Saúde?… É muito simples, uai! É se vacinar desde o nascimento até a morte, ingerir proteína, carboidrato e vitaminas, é consultar o especialista e realizar o bê-á-bá dos exames e seguir religiosamente as prescrições médicas, certo? Hein, ta me perguntando se o governo proporciona esses benefícios?… Esse que ta aí num dá conta não, é zero à esquerda, mas votem em mim que vocês terão tudo isso e muito mais, viu? Ah, lavar bem as mãos e enxugá-las num papel branquinho, certo?… Como?… Não, não, jornal pode não, viu?… É pecado! … Hein?… Se pode embrulhar pão ou limpar o toba com jornal?… Não, não!… Num pode não gente, que “disgrama” siô!!

5/5 - (1 vote)
Mostre mais

Alcivando Lima - Opinião Leitor

Alcivando Lima é escritor. Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo.

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo