Alcivando Lima: 12 de janeiro de 2018 – 11:50

Cá estou de novo confortavelmente sentado numa macia poltrona de uma das nossas unidades do transporte coletivo da região metropolitana e como sempre, ouço — sem querer, é lógico — opiniões diversas. Uma dela foi sobre nosso sistema midiático em vigor. Quando ligamos o rádio ou a TV — isto quem fala é um fortuito colega usuário — sempre ouvimos dos governantes que temos que melhorar a economia nisso e naquilo e, se assim o fizermos, teremos um estado cada vez melhor para as cidadãs e os cidadãos atuais e futuros,0. Sempre ouvimos isso e o povo está cada vez mais pobre e os ricos cada vez mais ricos. Saúde pública permanece eternamente num caos com gente morrendo nas filas dos postos de saúde e hospitais geridos pelo governo.

Segurança? — continua meu afortunado colega puxando desesperadamente ar por causa duma disgramenta asma — Ai daquele que se atrever a sair para visitar um amigo ou ir ao cinema ou mesmo zanzar atôa pra tomar outros ares. Isso é suicídio, desista. É melhor ficar em casa vendo a máquina de fazer doido dizer coisas inúteis e propagar coisas do governo e este afirmar que tudo está indo às mil maravilhas, exceto o chororô da oposição cheia de dores nos cotovelo pelo sabão que levara nas últimas eleições e morre de inveja vivendo eternamente na cegueira de não querer ver o progresso que a situação fez e continua fazendo para a alegria e conforto da população que vivia na escuridão quando eles, os outros, estavam no arreio e escarneciam do povo e agora que é barrigueira, tem o topete de denegrir a imagem de quem mata a cobra e mostra o pau com obras esparramadas nos quatro cantos do mundo e sem gastar aquela dinheirama toda, e se mais não fizemos — justificam os situacionistas do Partido Bom — foi por que tivemos que pagar uma nota preta de dividas que a malfadada oposição contraiu e não mostrou pra donde foi a bufunfa, mas nós estamos investigando e quase sabemos em que buraco eles meteram o dinheiro do povo, mas — alardeiam os detentores do poder — isso não vai ficar isso assim não, doa a quem doer nós faremos justiça mandando pro xilindró os culpados e assim recuperaremos a confiança e o sagrado dinheiro do povo, podem estar certo, não desanimem não, viu negrada? — Finaliza meu colega que continua a arfar o peito atrás de oxigênio.

A TV, o rádio e os jornais — retoma este — exibem, transmitem e publicam o que queremos e não queremos e se não quisermos nos empurram goela abaixo. Isto acontece também nos canais ditos por assinatura que você paga para ver propaganda de creme anti-ruga, ou de como eliminar o calo do mindinho ou de um laxante suave pra aliviar a prisão de ventre que te deixa de cara enfezada correndo o risco de fazer a namorada tapar o nariz quando estiverem sozinhos e você culpar o coitadinho do cachorro que dormita inocentemente sob o banco em que estão sentados ou ainda apresentam aquela fórmula mágica de como ficar bonita, mesmo sabendo que sois feia pra caramba, mas não custa nada tentar, (só o olho da cara) insiste o locutor ou locutora do canal xis. Nos canais abertos você paga a energia elétrica e gasta seus desgastados neurônios para ver programas de gente fazendo caretas e trejeitos de quem está com um calango dentro das roupas ou se mijando nas calças. Nos canais pagos não, lá você, além de pagar pela energia, paga uma grana para ver as mesmas coisas com a vantagem de ver filmes e revê-los por mais uns cem anos. Em nome da economia que resulta em bem estar do povo — se intromete um outro, sem ser convidado  — estão projetos de lei de políticos brasileiros que obriga o homem mijar sentado no vaso mode não esparramar mijo na berada do vaso; carteira de habilitação exclusiva para quem pilotar carro com câmbio automático e vice-versa para quem pilotar carro com câmbio mecânico; que animais não recebam nomes, isto é prerrogativa dos humanos e que se institua o dia do Cão; distribuição gratuita de vasodilatadores para quem já dobrou o cabo da boa esperança. Segundo um vereador potiguar, a disfunção erétil abala a auto-estima e estimula o alcoolismo e a violência. Se tu olhar, mesmo displicentemente pro bico da botina dum desinfeliz desses e depois volver inocentemente os mesmos olhos pra cara dele, tu corre o risco de ser estripado por uma peixeira, porque ele vai pensar que tu mangou da cara dele e tem mais uma coisa — aparteou um terceiro dos mais inxerido — o Trampe e aquele chineis Quinca num sei o quê, lá da Coréia, ficam falando que um tem o butão nuclear maior que o do outro. Tem?… Então mostra pra nóis, uai!!!

 

Alcivando Lima é escritor. E-mail: [email protected]

TUDO PELA ECONOMIA
5 (100%) 1 vote
Tags
Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *