Opinião Pública: Para onde caminha a Humanidade?

Opinião Pública: Para onde caminha a Humanidade?

Por onde quer que se vá, os problemas construídos pela humanidade ressoaram   universo a fora, estes problemas me causam inquietações pois aparentemente são sempre os mesmos. Não é difícil de se encontrar adjetivos pejorativos nos quais se possam definir negativamente a humanidade e os seres humanos. Entre tais descrições destacamos o egoísmos exacerbado dos indivíduos, as tristezas que se transformam em depressões, os ressentimentos, as omissões perante as ações que definham e condicionam as utopias.

Este fato é certo, mas o que realmente me instiga é o fato de humanamente a sociedade acreditar que estamos em caminhos corretos no que se diz respeito a plenitude de SERMOS HUMANOS, a felicidade, ao prazer vital, a totalidade da vida, todos estes elementos estão camuflados e velados em meio a uma grande rede de construções de discursos de verdades  A humanidade escolhe seus ídolos, e o  uso a palavra “ídolo” aqui se refere no sentido de tudo aquilo que os sujeitos veneram e tomam enquanto verdades, tal fato beira o fanatismo pois criam dogmas inquestionáveis tornado os indivíduos alienados psicologicamente , criando assim os movimentos massivos e utópicos aos quais a sociedade se adapta tão facilmente de forma trágica. A problemática é maior do que se pensa, pois se é fato que a humanidade está doente, também é fato de que essa doença não é reconhecida, acarretando assim a validação da máxima: só se cura quem reconhece o vício(doença). Essa cadeia mental na qual se encontram toda a humanidade, tem como percursor os pensamentos, pois tal cadeia na qual me refiro só existe porque existiram primeiramente como ideologias, e depois como práticas de alienação psicológica.

Compreendo o quão complicado é se emancipar da sociedade, dos valores, das morais das religiões, das éticas é mesmo difícil escolher entre os caminhos a serem seguidos, o da esquerda, da direita, o centro, e com toda essa complexidade é viável então se descobrir, ser o seu próprio Deus, seu mestre, seu guru, sua vida, seu professor, seu espelho, seu líder, seu dono, seu senhor, não siga ninguém além do oráculo que está em nós. Não siga ninguém orador não teve a mesma experiência que eu, cada corpo tem uma história afetiva diferente e diferentes formas de interpretar esses afetos. O ideal para alguém não é o ideal pra mim, e vice versa. Conclusão: Descubra- se. Essa é a única maneira de existência na verdadeira acepção da palavra.

Robson Moreira é estudante. Email:  [email protected]

Deixe sua opinião!

Clique para continuar lendo as próximas notícias.

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar