Manchetes

O grande encontro de gerações: Um centenário da Família Preda no Brasil

O grande encontro de gerações: Um centenário da Família Preda no Brasil
João Preda
O grande encontro de gerações: Um centenário da Família Preda no Brasil
5 (100%) 5 votes

João Preda: 14/09/2017 – 13:23

 

Em setembro de 2017, completou 119 anos da chegada da família Preda  ao Brasil. Meu avô Fioravante Preda, ainda adolescente com seu Irmão Giovanni Preda (conhecido como João Preda)  com 18 anos, partiu da Itália rumo ao Brasil, em busca de uma vida melhor. Mesmo sabendo dos riscos e das dificuldades, pois muitos morriam de fome e doenças, numa longa viagem que parecia interminável, dias e noites da Itália ao solo pretendido, a grande maioria não alcançava o sonho de uma vida melhor! Porém os irmãos, munidos de coragem e muita fé, puderam realizar o planejado e começou uma nova História no Brasil.

Meu avô Fioravante, depois de bom tempo vivendo em Franca, São Paulo, decide morar em Goiás, para investir na plantação de café, arroz e milho. Ouvi muitas histórias contada pelo meu pai Alípio Preda desse tempo distante, uma delas narrada pelo meu amado pai: “Os Goianos criavam os porcos amarrados pelos pés, então resolvi construir chiqueiro e mangueiro para cria-los. As pessoas observavam animadas, era uma gente simples e humildes e não apresentava conhecimento necessário para cunhar os cercados para os animais”. Meu pai, costumava brincar com os goianos, dizendo que eles criavam os porcos amarrados pelos pés, de preguiça de fazer os chiqueiros.

Nós temos muito prazer em fazer parte dessa raiz genealógica, muito orgulho (bom orgulho), em fazer parte dessa família, que hoje pode povoar uma cidade no Brasil.

Percebi a felicidade de Cristhiane Vieira Lelis, que mora na Itália, em vir ao Brasil, participar do grande encontro da família.

Ela descreve a trajetória de migração: “Fioravante Preda, patriarca da família, nasceu em 26 de fevereiro de 1890 em Castelnovo Bariano, uma cidadezinha ao norte da Itália. Aos 8 anos de idade veio para o Brasil com seu irmão Giovanni Preda (conhecido como João Preda), que na época tinha 18 anos. Fioravante conheceu Emilia Montagnini, brasileira, filha de pais italianos, no interior de São Paulo, com quem se casou em 1910. Os dois tiveram 13 filhos (Odorico, Mario, Mafalda, Elpidio, Moralina, Alipio, Amelia, Alcides, Odete, Antonio, Adalberto, Isolina e Claricinda). Infelizmente Emilia faleceu ainda jovem e Fioravante resolveu migrar de São Paulo para Goiás com os filhos. Decidiu não se casar novamente. Enfrentou muitas adversidades para buscar o sustento da família. Os filhos cresceram, quase todos se casaram. A maioria permaneceu em Goiás, mas alguns se mudaram para outros estados.

Com o passar dos anos e o crescimento da família, os filhos de Fioravante e Emilia foram perdendo o contato. As reuniões se tornavam sempre menos frequentes. Dos 13 filhos somente uma está viva: Moralina Preda Vieira, de 87 anos.

 

O caminho inverso 

Mais de um século depois da vinda de Fioravante da Itália para o Brasil, Eu, Cristhiane Vieira Lelis, sua bisneta, 35, resolvi fazer o caminho inverso. Mudei-me para a Itália em 2012 em busca da dupla cidadania. Hoje, cidadã Italiana. Tive a oportunidade de conhecer a cidade onde meu bisavô nasceu e adotei a Itália como nova casa”.

 

O grande encontro 

Em julho de 2017 Kerssia Preda e Emilia, tiveram a ideia de criar um grupo da família Preda no Whatsapp. Então eu pergunto a Kerssia, qual o seu laço de sangue com a família Preda e como surgiu a ideia de criar o Grupo?  “Sou bisneta do Eupildio Preda, um dos filhos do patriarca Fioravante.

Sempre tive a curiosidade de conhecer a fundo a história da família de onde faço parte por gerações, principalmente pelo sobrenome diferente. Meu pai sempre contou a história de sua família que é outro sobrenome fora do contexto brasileiro “Família Kamenach”. Então passei a sentir falta de conhecer a geração da parte materna de minha mãe, como será minha arvore genealógica maternal. Foi aí que veio a ideia de começar a construir essa genealogia que até então era desconhecida.

Primeiro passo conversar com uma tia (Luzia Preda) sobre a possibilidade de usarmos a tecnologia a nosso favor, assim surgindo um grupo pequeno no WhatsApp, com contato de alguns parentesco que havíamos e depois nossa busca se passou pelas redes sociais conhecido hoje como o facebook , a medida que íamos adicionando algumas pessoas as mesmas acrescentavam seus parentes e nisso foi crescendo, hoje temos cerca de 102 integrantes neste grupo, fora aqueles que não possuem, mas estarão presente neste grande evento que estamos organizando ansiosamente.  Com o tempo começamos a nos preocupar com a nossa origem e nosso legado, isso faz parte do instinto de família e comunidade”.

A partir daí que Cristhiane, a bisneta de Moralina, que mora na Itália, “propôs que fosse organizado um encontro entre os membros da grande família; o intuito desse evento é de resgatar as raízes e promover o encontro de pessoas que ainda não se conhecem, o reencontro daqueles que não se veem há muito tempo, proporcionar a troca de experiências, resgatar a história dos antepassados e, sobretudo, festejar a vida e a força do nosso bem maior: a FAMÍLIA.

O encontro será realizado no dia 17 de setembro de 2017, numa chácara em Caturaí, com aproximadamente 140 participantes, dentre eles a atual matriarca da família Moralina Preda Vieira. Será uma festa regada a alegria e emoção, além de muita comida brasileira e italiana, conversa alta (no bom estilo italiano) e boa, afinal a família tem mais de um século de histórias para compartilhar”.

A internet é extremamente poderosa em unir as pessoas. Quando Kerssia Preda, bisneta de Fioravante e Emilia, tiveram a brilhante ideia de criar o grupo da família, no Whatsapp, conseguindo unir grande parte da família, muitos moravam na mesma cidade e não sabiam que alguém próximo era seu parente, portanto foi possível fazer a união de todos e organizar o grande encontro. Desde a criação do grupo na Rede, são permanentes os bate papos e sempre com muita emoção, fazendo uma ponte entre a geração anterior e a mais jovem. Em um desses bate papos, ouvi a mãe de um jovem, dizendo: “-quando meu filho veio de mudança de São Paulo para Brasília, pegou uma placa de Rua da Cidade de Campinas com o nome João Preda e trouxe de lembrança. A rua com o nome do meu Tio avó foi uma homenagem da cidade de Campinas, quando ele completou 100 anos, viveu até os 101, sendo ele um guerreiro que lutou na segunda guerra Mundial. Eu tenho gratidão pela escolha de meu pai em colocar em mim o mesmo nome do meu tio avó João Preda. O nosso destino é construído pelas nossas próprias ações ao longo da existência, vamos pensando e agindo e os livros ficam registrados em cada uma das vidas, Apocalipse 20, 12. “E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras”. Portanto devemos cuidar dos nossos pensamentos, das nossas palavras e das nossas ações. Tudo nasce do pensamento, ele é a caneta com que escrevemos em linhas invisíveis aos olhos, as páginas do nosso próprio destino. Vamos construir juntos o da nossa linda e maravilhosa família.

O grande encontro de gerações Um centenário da Família Preda no Brasil

Árvore Genealógica

 

Local: do grande encontro

Sitio Renascer, Caturai – Goiás

Do casal, Cida e Reni Preda

Dia 17/09/2017, a partir das 10h da manhã

 

João Areis Preda

Jornalista e escritor

Celular: 62 991201945

[email protected]

Opinião Pública, Manchetes

 

Clique para adicionar o seu comentário

Deixe seu comentário:

Manchetes
João Preda
@opiniaogoias

João Areis Preda é Jornalista e Escritor.