GoiâniaGoiásManchetes

Goiás – Justiça determina a dissolução da BBom por esquema de pirâmide

Jornal Opinião Goiás: 16 dezembro 2017 – 11:25

Justiça Federal em Goiás condenou a empresa BBom por realizar prática ilegal de pirâmide e determina a dissolução das empresas do grupo e que as pessoas recrutadas pelo esquema sejam indenizadas. A decisão também exige que a companhia pague R$ 100 milhões ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos.

O empresário João Francisco de Paulo, dono das empresas Embrasystem Tecnologia em Sistemas, lmportação e Exportação Ltda e BBrasil Organizaçoes e Métodos Ltda, que constituem a BBom irá recorrer da decisão. Segundo ele, as empresas sempre trabalharam de forma lícita e continuam funcionando normalmente.

A decisão judicial determina que as empresas que formam a Bbom sejam dissolvidas e que seja declarada a liquidação judicial. Também será divulgado que as empresas foram condendas por prática ilegal de pirâmide financeira nos sites das próprias companhias e em alguns jornais, sob multa de diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento.

Por determinação judicial a BBom também deverá reembolsar os clientes e pessoas recrutadas para o sistema de captação financeira incluídos no esquema até 5 de agosto de 2013.

Segundo a Justiça, um rasteador de veículos era o produto que supostamente “sustentaria” o negócio da BBom. Esse produto servia como “isca” para o recrutamento de mais associados, já que a remuneração deles se dava pela indicação de novos integrantes, ou seja esquema de pirâmide.

Para ser associado, os interessados pagavam uma taxa de cadastro, no valor de R$ 60, mais uma taxa de adesão, que variava de R$ 600 a R$ 3 mil, de acordo com o plano escolhido. Quanto maior o número de novos integrantes, maior seria a premiação oferecida pela empresa.

Em 2013, a juíza federal de Goiânia Luciana Laurenti Gheller pediu o bloqueio dos bens da empresa. Entre os bens constam mais de R$ 300 milhões em contas bancárias do grupo, além de cerca de 100 veículos, incluindo motos e carros de luxo como Ferrari e Lamborghinis.

Em outra liminar a juíza determinou a imediata suspensão das atividades da empresa, proibição de cadastro de novos clientes e de captação de recursos financeiros dos associados cadastrados.

https://opiniaogoias.com.br/2017/08/10/bbom-tem-pedido-negado-que-proibe-procuradores-de-goias-de-divulgarem-informacoes-noticias-e-andamentos-dos-processos-12664.html

 

 

Tags: Goiás, Goiânia, Manchetes, BBom

Goiás – Justiça determina a dissolução da BBom por esquema de pirâmide
5 (100%) 3 votes
Tags
Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *