DestaqueGoiâniaGoiásManchetesTecnologia

Jornal Opinião Goiás – Este robô quadrúpede não dança nada pior do que seu pai

Ou talvez seu pai seja um grande dançarino, nesse caso, desculpe.

Elon Musk ainda está nos advertindo de que AI inteligente super-inteligente vai aborrecer o planeta , mas os robôs estão aqui fora, apenas tentando obter o seu encadeamento. Veja o recente vídeo acima do bot de pesquisa com quadrúpedes ANYmal, que recentemente foi ensinado a dançar por pesquisadores da Universidade Suíça ETH Zurique.

Como o estudante de doutorado Péter Fankhauser explica para The Verge , o interessante acontecer aqui é que ANYmal está reagindo à música que ouve em tempo real, ao invés de confiar em movimentos de dança pré-programados. Isso exige que o robô analise a velocidade da música, planeje como se mover no tempo para a música, comece a dançar e depois verifique seus próprios movimentos para ver se eles estão sincronizados com a batida.

“Nós queríamos tê-lo assim, se você trouxer o robô para uma discoteca, pode descobrir a música, criar uma coreografia e sincronizar seu movimento”, diz Fankhauser. “Também estamos interessados ​​em criar movimentos reais. Dancing é uma ação muito humana e intensiva em movimento, por isso é desafiador imitar “.

Esta é uma aplicação divertida de robótica de ponta, mas também possui um sério potencial de pesquisa. O mecanismo pelo qual ANYmal analisa seus próprios movimentos para verificar que está dançando no tempo com a batida é um loop de feedback útil. Este tipo de mecanismo interno (Fankhauser compara isso com um humano imaginando como eles completam uma tarefa) pode ser útil, controlando suas ações para empregos como pesquisas industriais ou missões de busca e resgate.

“Nós fazemos muitas coisas sérias com o robô, mas esse é o lado divertido”, diz Fankhauser. “Para nós, para estudantes, para todos os envolvidos, é agradável fazer essas coisas e realmente explorar as capacidades do hardware”.

Jornal Opinião Goiás – Este robô quadrúpede não dança nada pior do que seu pai
5 (100%) 1 vote
Tags
Mostre mais

# Gabriella Oliveira

Gabriella é colunista do Jornal Opinião Goiás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *