Jornal Opinião Goiás – China leva disputa tarifária dos EUA para a OMC

A China desencadeou na segunda-feira o processo legal para a Organização Mundial do Comércio ouvir o desafio de Pequim às tarifas impostas pelos Estados Unidos a 234 bilhões de dólares e censurou os Estados Unidos por bloquear a nomeação de juízes que poderiam decidir sobre o assunto.

Um diplomata chinês disse em uma reunião da OMC que a China queria um painel de especialistas para julgar sua queixa, lançada em abril do ano passado. A queixa pretende bloquear as tarifas dos EUA impostas às importações chinesas em uma guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo lançadas pelo presidente Donald Trump.

“Esta é uma violação gritante das obrigações dos Estados Unidos nos termos dos acordos da OMC e está colocando um desafio sistêmico ao sistema multilateral de comércio”, disse o representante da China, de acordo com uma transcrição.

“Se os Estados Unidos fossem livres para continuar infringindo esses princípios sem consequências, a viabilidade futura dessa organização está em perigo extremo.”

Os Estados Unidos começaram a impor 25% de tarifas adicionais sobre aproximadamente US $ 34 bilhões de importações chinesas a partir de 6 de julho de 2018 e impuseram tarifas adicionais de 10% sobre aproximadamente US $ 200 bilhões de importações chinesas a partir de 24 de setembro.

A China respondeu com tarifas sobre produtos norte-americanos.

A autoridade dos EUA disse que a China está usando o sistema da OMC como escudo para políticas que distorcem o comércio, e que a China está prejudicando o sistema mundial de comércio por meio de “políticas e práticas forçadas de transferência de tecnologia forçada e injusta”. .

“É a China, e certamente não os Estados Unidos, que está ameaçando a viabilidade geral do sistema da OMC”, disse a autoridade dos EUA.

O caso da China, como outros lançados recentemente, pode em breve tornar-se impossível de resolver por causa da ação dos EUA que suspendeu a nomeação de juízes para ouvir apelos em disputas comerciais.

Washington diz que os juízes quebraram rotineiramente os procedimentos da OMC e excederam seu mandato. Reiterou sua posição na reunião de segunda-feira, enquanto a China e outros 70 membros da OMC reiteraram seu apelo para que os Estados Unidos parem de bloquear a nomeação de juízes.

Há apenas três juízes restantes no Órgão de Apelação da OMC, a principal corte do comércio mundial, e dois deixarão o cargo em dezembro. As regras da OMC exigem três juízes para ouvir recursos.

A China disse que a ação dos EUA para suspender a nomeação de juízes era ilegítima. Citou as regras da OMC que dizem que “as vagas serão preenchidas quando surgirem”.

O representante do Brasil disse na reunião: “Se nada for feito (nós) testemunharemos o fechamento de um órgão que está no coração do sistema de solução de controvérsias da OMC. Tempo é essencial.”

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar