Connect with us

Destaque

Jornal de Goiás – Wall Street entra em queda à medida que tensões comerciais aumentam entre EUA e China

# Ana Rodrigues

Published

on

Jornal de Goiás - Wall Street entra em queda à medida que tensões comerciais aumentam entre EUA e China

As bolsas americanas caíram mais de 1% nesta terça-feira em uma ampla onda de vendas, com o aumento das tensões entre os Estados Unidos e a China, o que provocou rumores sobre o crescimento global e manteve os investidores longe dos ativos mais arriscados.

Pequim disse na terça-feira que o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, visitará os Estados Unidos nesta semana para negociações comerciais, minimizando a ameaça inesperada do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de elevar as tarifas de US $ 200 bilhões em bens chineses para 25%.

As tensões comerciais elevaram a rentabilidade do Tesouro dos EUA, com os investidores voltando-se para títulos do governo de baixo risco, pressionando as ações bancárias sensíveis à taxa de juros, que caíram 1,51%.

A Boeing, maior exportadora dos EUA para a China, caiu 3,2% e a Caterpillar caiu 2,0%.

“À medida que digerimos o significado da ameaça tarifária, estamos um pouco menos esperançosos de que veremos progresso no final desta semana que irá evitar as tarifas adicionais”, disse Tony Roth, diretor de investimentos da Wilmington Trust em Wilmington. Delaware.

“A economia global está saindo de um pouso suave. Vimos uma nova aceleração à medida que nos aproximamos de uma resolução, mas aqui, à medida que ela se desfaz, a questão passa a ser o impacto direto e indireto que as tarifas terão sobre a economia global ”.

Todos os principais setores da S & P estavam negociando no vermelho, com nove deles registrando perdas de mais de 1%.

O CBOE Volatility Index, um indicador de ansiedade dos investidores, alcançou seu nível mais alto em mais de três meses.

Às 12:39 pm ET o Dow Jones Industrial Average caiu 391,89 pontos, ou 1,48%, em 26.046,59. O S & P 500 caiu 39,89 pontos, ou 1,36%, para 2.892,58 e o Nasdaq Composite caiu 123,30 pontos, ou 1,52%, para 7.999,99.

Nomes famosos, como Microsoft, Apple, Amazon e Facebook, caíram mais de 1,7% e pesaram sobre os mercados.

Com a temporada de resultados agora em sua reta final, as estimativas de lucro para o primeiro trimestre estão agora em alta de 1,2%, uma melhora acentuada em relação à queda de 2,3% esperada no início da temporada de resultados.

Das 414 empresas de S & P que relataram lucros até agora, cerca de 75% superaram as estimativas dos analistas, segundo dados do Refinitiv.

American International Group Inc saltou 7,6% depois que a seguradora reportou um lucro trimestral que superou as expectativas.

A Mylan NV caiu 17%, a maior entre as empresas S & P, depois que a farmacêutica divulgou uma receita trimestral menor do que a esperada e não forneceu mais clareza sobre uma potencial reformulação da estratégia da empresa.

Questões em declínio superaram os advancers para uma relação de 3,55 para 1 na NYSE e para uma taxa de 2,71 para 1 na Nasdaq.

O índice S & P registrou quatro novas máximas de 52 semanas e cinco novas mínimas, enquanto o Nasdaq registrou 41 novas máximas e 34 novas mínimas.

Ana Rodrigues é colunista convidada do Rio de Janeiro, especialista em economia, mercado e mundo. E-mail: opiniao@opiniaogoias.com.br.    Os artigos são de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do veículo, sendo de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Continue Reading
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

TV Opinião Goiás