DestaqueManchetesMundoTecnologia

Jornal de Goiás – Maior parque solar da América Latina transforma deserto mexicano

A usina fotovoltaica de Villanueva (PV) é o maior projeto solar do mundo fora da China e da Índia

Atravessando as intermináveis ​​dunas e cactos do deserto de Chihuahuan, no norte do México, um campo azul cintilante aparece de repente no horizonte – não uma miragem, mas o maior parque solar da América Latina.

Essa faixa silenciosa de areia no estado de Coahuila é o local escolhido pela gigante italiana de energia Enel para construir a usina de Villanueva: 2,3 milhões de painéis solares que se estendem por uma área ensolarada do tamanho de 2.200 campos de futebol.

Quando a usina atingir sua capacidade total no final deste ano, fornecerá eletricidade suficiente para abastecer 1,3 milhão de residências.

É o maior projeto solar do mundo fora da China e da Índia.

Os painéis são projetados para girar em conjunto com o sol, como um campo de girassóis metálicos.

Eles fazem parte do esforço do México para gerar 35% de sua eletricidade a partir de fontes limpas até 2024.

O México recebeu aplausos de ambientalistas em 2015, quando se tornou o primeiro país emergente a anunciar suas metas de redução de emissões para o acordo climático da ONU, ambiciosamente prometendo reduzi-las pela metade até 2050.

Uma parte fundamental desse impulso é uma reforma abrangente de energia realizada em 2013.

Uma das iniciativas de assinatura do presidente Enrique Pena Nieto, foi inicialmente criticada pelo presidente eleito Andrés Manuel López Obrador, que assumirá o cargo em 1º de dezembro.

Mas o esquerdista antiestablishment se aqueceu para a reforma, e os analistas agora dizem que é provável que aqui permaneça.

A reforma fez manchetes globais para a reabertura do setor de petróleo do México para empresas estrangeiras após 76 anos de monopólio estatal.

Um aspecto menos conhecido – mas talvez mais importante – era permitir que empresas privadas gerassem e fornecessem eletricidade.

Sob a nova lei, o México está agora realizando leilões de energia limpa, nos quais as empresas privadas se comprometem a produzir e vender eletricidade em um mercado aberto.

“Estamos muito felizes com o ambiente de negócios e as oportunidades que existem no México”, disse o diretor global de energia renovável da Enel, Antonio Cammisecra.

“Desde a reforma, vemos melhores condições de mercado e potencial para uma empresa como a nossa.”

– Cortando gastos –

Projetos como este também estão se beneficiando de uma queda acentuada nos preços da tecnologia solar nos últimos anos.

“A energia solar fotovoltaica é a energia que mais cresce no mundo. E isso está impulsionando os inovadores de tecnologia”, disse Arturo Garcia, especialista em energia da consultoria internacional Deloitte.

A reforma energética e a queda dos preços estão juntos reformando o mercado de energia solar no México.

“Antes da reforma, era uma questão ambiental”, disse Victor Ramirez, diretor executivo da Associação Nacional de Energia Solar.

“Hoje, não é apenas sobre o meio ambiente, é sobre economia. Se as fontes solares são mais baratas, o investimento vai gravitar lá.”

As novas oportunidades estão atraindo interesse internacional.

Além do projeto Villanueva de US $ 650 milhões, a Enel tem outro parque solar e está construindo dois parques eólicos.

Em maio último, prometeu um investimento adicional de US $ 97 milhões para expandir seus projetos no México.

A espanhola Iberdrola está construindo dois parques solares, a holandesa Alten está construindo outra, e a Atlas Renewable Energy, com apoio da Grã-Bretanha, recentemente adquiriu outra.

“O México tem recursos solares de classe mundial”, disse Camilo Serrano, gerente geral da Atlas para o México.

“O potencial está absolutamente provado e o apetite dos investidores é óbvio nos leilões.”

– Interesse elétrico –

Até agora, os leilões levantaram um investimento estimado em US $ 8,6 bilhões.

O ministro da Energia mexicano, Pedro Joaquin Coldwell, disse recentemente que levaria à construção de 40 parques solares e 25 projetos eólicos.

O México, que tinha nove parques solares em 2015, pretende ter 68 em 2021, acrescentou.

Três leilões foram realizados até agora. O preço de produção oferecido pelos fornecedores de eletricidade caiu de US $ 50 por megawatt-hora para US $ 20.

Graças ao programa, o México está na lista dos dez países com o maior investimento em energia limpa, segundo o governo – que prevê que a queda dos preços continuará no próximo leilão, previsto para novembro.

Jornal de Goiás – Maior parque solar da América Latina transforma deserto mexicano
5 (100%) 1 vote
Tags
Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *