Jornal de Goiânia – Nova Zelândia concederá residência permanente a todos os sobreviventes do ataque terrorista nas mesquitas

A Nova Zelândia concederá residência permanente a todos os sobreviventes do tiroteio em massa em duas mesquitas de Christchurch, nas quais 50 fiéis muçulmanos foram mortos, informou na terça-feira.

O australiano Brenton Tarrant, 28 anos, suspeito de ser um supremacista branco, foi acusado de 50 acusações de homicídio pelo pior tiroteio em massa em tempo de paz da Nova Zelândia, no qual 50 outras pessoas foram feridas nas orações de sexta-feira.

O governo disse que estava considerando dar vistos para sobreviventes, mas nenhuma decisão foi anunciada. A notícia de terça-feira só foi divulgada como um link no site de imigração, que alguns dizem que foi feito para evitar qualquer reação dos oponentes da imigração.

A Imigração da Nova Zelândia disse que uma nova categoria de visto, chamada de Christchurch Response (2019), foi criada. As pessoas que estavam presentes nas mesquitas quando foram atacadas em 15 de março podem se inscrever, assim como membros das famílias .

Os candidatos devem ser residentes da Nova Zelândia no dia do ataque, portanto, o visto não estará disponível para turistas ou visitantes de curto prazo. As candidaturas podem ser feitas a partir de quarta-feira.

A primeira-ministra Jacinda Ardern disse que o ataque foi um ato de terrorismo e aprovou leis de armas proibindo armas semiautomáticas.

Um ministro do Sri Lanka disse na terça-feira que os atentados de Páscoa nas igrejas e hotéis que mataram 321 pessoas pareciam ser uma retaliação aos ataques da mesquita na Nova Zelândia.

Mais tarde, o grupo do Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelas explosões coordenadas.

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo