Jornais de Goiânia – Churrasco no fim de semana? Não se quiser salvar o planeta

Carne assando na churrasqueira pode ser sinônimo de fim de semana, mas os consumidores deveriam repensar o cardápio para salvar o planeta, disse um grupo de pesquisa sediado nos Estados Unidos nesta quarta-feira.

Se os maiores fãs de carne reduzirem o consumo semanal a 1,5 porção até 2050, a medida pode diminuir as emissões de gases do efeito estufa e impedir que florestas se tornem terras de cultivo, disse o Instituto de Recursos Mundiais (WRI).

Atualmente, norte-americanos e europeus ingerem o dobro disso, e os brasileiros o triplo, disse Timothy Searchinger, principal autor do relatório do WRI e pesquisador da Universidade Princeton, à Thomson Reuters Foundation.

“Esta é solução mais promissora e mais realista”, afirmou, acrescentando que seria mais difícil reduzir o consumo total global de carne bovina.

Os frequentadores de restaurantes dos EUA, Canadá, Europa, América Latina e de países da antiga União Soviética representam um quarto da população mundial, mas consumiram mais da metade da carne de bois, ovelhas e cabras do mundo em 2010, segundo o WRI.

A agricultura responde por 11% das emissões globais do efeito estufa, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), grande parte da qual vêm de gases emitidos pelo gado de corte durante a digestão.

A derrubada de árvores, que absorvem o dióxido de carbono, para a expansão das terras de cultivo também aumenta a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera.

Projeta-se que a demanda global de alimento aumentará mais de 50% até 2050 devido ao crescimento da população e da renda, mas cumprir essa meta usando os sistemas de cultivo atuais teria resultados terríveis para os humanos e o planeta, disse o WRI.

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo