Especial Opinião Pública com Amyn Daher Jr: A fragilidade humana

O ser vivo, principalmente o humano, que tem pensamento mais aguçado que outros seres que habitam a terra, isto lhe dá a oportunidade de discernir os valores da vida. Sendo assim, como juízes, interpretes e mesmo personagens desta magia, que todos têm que se chama vida, mesmo que seja curta, cheia de surpresas, mostrando sempre que os humanos nunca serão deuses, mesmo que queiram ser, dominar outros semelhantes mais frágeis, por períodos que se julgam longos, mas na realidade são curtos, menosprezando sempre o tempo. Esquecem que todos são frágeis perante as forças invisíveis do universo.

Homens que se diziam invencíveis, que tinham o domínio de certas etapas da vida, julgando ser superior e dominador perante aos olhos de outros humanos, mas perante o universo percebe que são insignificantes, por mais que destruíram seus semelhantes, tolhendo as vidas prematuramente, na maioria das vezes sem motivo, mas apenas pela ambição de querer ser donos de algo que nunca lhes pertenceram, pois o tempo ele é continuo e não volta.  A vida passa querendo ou não, lhe tirada, não importando seu status, sua pujança de mandatário, de dominar grandes extensões de terras, tudo ira se desfazer, pois o tempo é inexorável para todos, não distingue raça e cor, muito menos poder, todos se tornam frágeis e pequenos diante do enigma que se chama vida, que nos é dada e ao mesmo tempo nos é tirada, sem aviso, sem atender nenhuma reivindicação para poder ficar mais tempo, pois estas prerrogativas nunca serão atendidas. Nesta hora, sentimos que nunca fomos nada, pois nem a nossa vida somos donos, não nos pertencem.

A verdadeira realidade que todos sabem, mas mesmo sabendo, o ser humano continua com o egoísmo exacerbado, buscando a riqueza, não importando o custo e vidas que poderão ser sacrificadas nesta batalha injustificada.

Quando olhamos o universo em sua grandeza, em nossa galáxia, onde existe o nosso planeta terra, que é o menor do sistema solar, e que nossa galáxia é a menor de outras milhares de galáxias que existem, percebemos nossa insignificância e também a prepotência de muitos, de achar que são superiores ou mais importantes que a maioria. A cegueira do poder levam pessoas a perderem o equilíbrio, tornando na maioria das vezes nefastas a vida do planeta, pela arrogância, riqueza e paranoia que ao invés de fazer o bem aos seres vivos, destroem a casa que todos vivem, que se chama terra.

Somos frutos de nossa ganancia, somos a destruição da vida, somos a ignorância que pensa, que destrói onde se vive, mesmo sabendo de tudo isto, o homem continua a ser o animal mais temível, mais destruidor, mais fraco e frágil perante a grandeza do universo e de Deus.

Amyn daher jr

Escritor.

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar