Especial com Kelly Lisita – Violência: ausência da razão e de explicação!

A prática da violência infelizmente tem vitimado muitas pessoas e a impressão que tem a sociedade acerca desse problema é de que não há cura para esse mal que assola a humanidade.

Não há uma explicação coerente para o comportamento de seres que em tese são considerados racionais para fins científicos.O ser humano é dotado de racionalidade, mas inegavelmente também pela maldade.

Inegavelmente as pessoas tornaram-se prisioneiras em seus próprios lares, de seus pensamentos, medos, aflições e angústias. Medo de serem roubadas, violentadas, enfim, vítimas da crueldade de quem deveria agir com a razão antes de praticar qualquer ato que fosse.

Existem muitas espécies de violência e nenhuma delas tem explicação lógica, ou seja, não há justificativa para tanta falta de humanidade e não podemos atribuir a culpa tão somente à educação precária. Porque existem pessoas que tiveram boas oportunidades devido ás suas qualificações e que não exitaram em praticar por exemplo, homicídios.

O que mencionar acerca do feminicídio, apenas e lamentavelmente que a cada dia os números sobre essa prática delituosa tem aumentado consideravelmente. Homicídio então, já se tornou notícia rotineira.

É lamentável não haver o mínimo de respeito e compaixão pelo próximo! Parece que o mundo está padecendo por um problema sem solução, em que medidas paliativas são aplicadas, porém ausentando-se do que deveria ser o objetivo: o fim da violência, seja a mesma moral, sexual, física, patrimonial ou ainda psicológica.

A palavra “violência” deriva do latim “violentia”, que tem como significado a “impetuosidade; a violação de direitos que são pertinentes a todos os cidadãos.Quando falamos em violação referimo-nos à falta de respeito, de limites para com o próximo nas mais variadas, nas diversas e infinitas situações.

Não podemos atribuir a responsabilidade apenas para uma pessoa ou para a sociedade ou órgão estatal, mas sim motivar as pessoas a refletirem sobre de que forma podem contribuir para evitar que a violência continue assombrando o mundo.Exemplificando podemos citar que valores morais, educação, princípios, respeito devem ser aprendidos em casa e não na rua.

Ser cônscio de que a cada ação corresponde uma reação é frase que deveria ser aprendida e ensinada concomitantemente a todos os cidadãos, sem distinção. Se não há respeito, pode haver feminicídio porque o homem não aceita a opinião/negativa da ex-esposa ou companheira no que tange ao relacionamento. Logo, o respeito deve ser assunto de extrema relevância seja nas escolas, nos lares, enfim, na vida.

Quem comete ação criminosa deve inquestionavelmente receber a reação através da punibilidade.

Mostre mais

Kelly Moura Oliveira Lisita Peres - Opinião Pública

Kelly Lisita Peres, advogada, professora universitária, especialista em Docência Universitária, Direito Penal e Direito Processual Penal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar