Especial com Alcivando Lima – IMPOSTOS, TAXAS E ENCARGOS SÃO TREVAS NA CONTA DE LUZ

“Algo só é impossível até que alguém duvide e resolva provar o contrário”. Albert Einstein

Gastamos, aplicamos, pagamos, dispendemos, liberalizamos, prodigalizamos, desembolsamos, investimos, (ufa) mais de oitocentos milhões de reais em melhorias da eletricidade que chega à casa do povo goiano e ainda temos mais de oitocentos milhões para fazer o mesmo e isso é um ato que a antiga estatal não faria e o povo, ingrato, não reconhece esse memorável feito, ficando a derramar torrentes de ódio que engolfam as boas ações por nós praticadas. Ô povinho chato, siô! Se continuar com essa latomia toda vamos deixá-los a ver navios. Seria cômico, se não fosse trágico, ver toda a goianada no mundo nas trevas. Fornecemos energia para mais de setenta milhões de pessoas em todo o mundo sem ter a chiadeira dum Zé povinho do pé rachado enchendo o saco de quem está trabalhando arduamente vinte e quatro, trinta horas por dia para, no final, inventarem que temos a agilidade de uma tartaruga em socorrer quem ficou quatro dias sem a bendita energia, com o leiteiro perdendo o leite, as panificadoras fechando as portas, afora o resto do mundo que na hora do banho recebe uma água pelando de fria na cacunda.

Só que a ralé não sabe nadica de nada do por quê do blackout. Depois explicaremos tintim por tintim. Aguardem!

Diante desse enternecedor contra-argumento, desse tocante e dramático desmentido de má prestação de serviço, até me inclinei pagar o dobro do dobro que já vinham me cobrando a título de adjutório pra ela, a multinacional não quebrar e se escafeder no mundo pela prática de tanta bondade, tanta generosidade, tanta benignidade, tanta compaixão, altruísmo e comprazimento que levaram as mães, tias e avós aos prantos ao verem os fornidos chefes indignados pelas injustas malhações que vem sofrendo desde então e eis que, se não quando, me deparo, via WatsApp, com uma portentosa elucidação dos fatos narrados pelo talentoso artista plástico, poeta e músico virtuoso, nominado na pia batismal Oswaldo Afonso Baptista, carinhosamente chamado Vadim, cujos fatos me deixaram na boca um gosto de jiló com goiaba e me demoveram a sanha de dobrar o pagamento. Ele, Vadim, disseca, tijolo por tijolo, e vai se firmando à medida que se vê a conta fatiada e a indignação toma conta de uma pessoa que decompôs sua conta de luz e essa arte veio troando urros de fera ferida e tomara que seus estrondosos sons retalhantes cheguem aos ouvidos dos bambambãs da multinacional e assim feito farão com que engulam o salitre lacrimal derramado pelas mães, tias e avós que tanto consternaram o valoroso povo goiano. Ao se pagar uma conta de R$203,57, e após buscar minúcias e vê-la retalhada, espostejada, é de arrepiar, é ver uma luz iluminar parcamente. Vejamos: Do valor pago, o quinhão da energia comprada importou em R$49,47 ou 24,30% do total; do total tira-se mais R$47,70 para o Serviço de Distribuição (??? Isso é duplicidade de atos) e lá se vão outros 23,43%; R$8,53 para Serviço de Transmissão (transmissão/distribuição, que coisa!!) que dá 4,19%; (Estão assuntando?) Temos mais R$8,88 de Encargos Setoriais (que diabos sãos esses setoriais?); agora verão a vaca engasgada: Impostos diretos, que se deduz seja ICMS, somam R$60,54 ou 29,74%, importe 5% maior que a compra da energia fornecida. (Pode uma desgrama dessa? O imposto ser maior que o benefício adquirido?) Agora, a vaca desengasgou e quer tossir: Perda de energia (Diga aí, por misericordiosa bondade, quem perdeu energia?); R$11,56 e lá se vão mais 5,68%. Menos de 1/3 do total de R$203,57, são energia fornecida o restante é taxas, impostos e encargos não explicitados além do que se tem que pagar na bandeira amarela, bandeira vermelha e taxa de iluminação pública.

Ah! Ei!, você aí, psiu… Trombetas soaram e estamos esperando a explicação prometida pela italiana para desvanecer o paradoxo dos investimentos que paira sobre os constantes blackouts, viu?

Grande Vadim, seu desabafo injetou-nos ânimo que dissiparam brumas densas que nos envolviam. Gritemos juntos pelo não conformismo de achar tudo normal. Seu desabafo espargiu argumentos que esbagaçam e contradiz os inteligentinhos de todas as matizes, de todas as nuanças. Valeu!!

Mostre mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo