Especial com Alcivando Lima – BODAS DE OURO, VIVA!

“Pois deixe que a convivência faça falar o coração” Machado de Assis

Festejarmos bodas de ouro nos transporta ao passado e evoca uma nostalgia sã. Nossos tímpanos ainda fremem do espoucar do foguetório dando vivas aos pombinhos recém declarados marido e mulher, após cerimônias no cartório e na igreja, onde o juiz e o padre davam uma “lavada” nas almas das criaturas. Para se casar, exigia-se um certo estofo moral e esse sazonamento se imaginava chegar aos dezoito, vinte anos. Contudo, os jovenzinhos, quase crianças, ao serem persuadidos a ter calma, subitamente “apressavam” e mandavam às favas os protocolos da maturidade e se lambuzavam no mel e se casavam com ou sem foguetório, com ou sem pompas e daí a preocupação: — Deus do céu, será que vai dar certo? Tão novinhos!

Especial com Alcivando Lima - BODAS DE OURO, VIVA!
Especial com Alcivando Lima – BODAS DE OURO, VIVA!

Carlos Antônio de Lima e Marizeth das Graças Guimarães, se conhecem desde a infância e, dissipando o sombrio presságio, casaram-se na adolescência e, vejam só, deu certo! Surgiu, advinda dessa abençoada união, uma robusta e saudável prole carregadinha de amor filial.  São eles: Adriana Guimarães Lima, Carlos Antônio de Lima Júnior, Carla Cristiana Guimarães de Lima, Fernanda Cristina Guimarães Lima e Adriano Jorge Guimarães Lima. São graduados, pela ordem, em enfermagem, advocacia, odontologia, nutricionismo e, novamente, advocacia como o é o progenitor e que o é, também, graduado em administração. Carlos Antonio de Lima (Carlim) e Marizeth das Graças Guimarães Lima, (docemente chamada Zeth) são, portanto, pais das três lindas e gentis senhorinhas e dos dois varões conectados com a realidade que, por seu turno, reverberam civilidade. Essa descendência, cumprindo a sequência natural da vida, uniu-se, por sua vez, aos seus respectivos cônjuges e formaram mais uma linhagem dos clãs Lima e Guimarães e hoje temos mais de uma dezena de importantes brasileirinhas e brasileirinhos que, com humildade (sem se humilhar) e temor a Deus, ajudarão a construir a Pátria da qual, unissonante, nos ufanamos. Primordialmente, vós, nubentes, com coragem e desenvoltura, enfrentaram as intempéries que se lhes impuseram. Sorriram e prantearam na formulação de planos para assegurar aos seus rebentos uma vivência decente. Ensinaram-lhes que o triunfo da força está na união e que devem cultuar a paz emanada de Deus. Aconchegaram-nos no colo quando se prenunciava vendavais. Deram-lhes sólida formação moral, intelectual e, sobretudo, Cristã, para que pudessem distinguir qual trilha seguir e, habilmente, pavimentá-la com os ares da dignidade, aromatizando com o bálsamo dos jasmineiros os lanhos sofridos pelas lategadas na trajetória da vida.

E assim, se passaram sete, quinze, trinta e cinco e agora cinqüenta anos, é hora de laurearmos essas Bodas com fios de ouro entrançadas no carinho dos filhos, netos, genros, noras e os demais que os cercam.

Roguemos ao nosso bom Deus para que dê, a nós todos, saúde para reverenciar o patriarca Carlos Antonio de Lima e a matriarca Marizeth das Graças Guimarães Lima na comemoração, com o mesmo deslumbramento, das suas bodas de diamante, da pérola negra, do vinho, do alabastro e do Jequitibá. Parabéns, meu querido irmão Carlim, parabéns, minha querida irmã Zeth!!

Especial com Alcivando Lima – BODAS DE OURO, VIVA!
5 (100%) 1 vote[s]
Mostre mais

Um comentário

  1. Muito obtigado Alcivando linda mesagem .agradeço as palavras carinhosas e elogios a nos dado com tanto amor.Deus o abençoe e continue sendo este escritor dedicado e competente em tudo que faze,lembre que voce faz parte desta nossa historia.amamos voces

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo