BrasilDestaqueGeriatraGeriatra GoiâniaGeriatra GoiásGeriatriaGeriatria GoiâniaGeriatria GoiásGoiâniaGoiásMagazineManchetesOpiniãoOpinião PúblicaOpinião Pública LeitorProjeto CuidarSaúde

Diabetes Mellitus e as consequências no Idoso

Além de apresentarem um maior risco para as complicações micro e macrovasculares devido ao maior tempo de exposição ao diabetes, os pacientes idosos diabéticos podem ter o seu quadro clínico agravado por doenças crônicas, degenerativas e deficiências funcionais associadas ao envelhecimento, que conjuntamente tornam seu tratamento muito mais complexo e pioram a qualidade e a expectativa de sobrevida.

Recentes dados epidemiológicos evidenciam que entre as doenças crônicas, o Diabetes Mellitus tipo 2 apresenta a maior prevalência, especialmente na população idosa, sendo que a atual prevalência nesta população é estimada em 20 %.

Além de apresentarem um maior risco para as complicações micro e macrovasculares devido ao maior tempo de exposição ao diabetes, os pacientes idosos diabéticos podem ter o seu quadro clínico agravado por doenças crônicas, degenerativas e deficiências funcionais associadas ao envelhecimento, que conjuntamente tornam seu tratamento muito mais complexo e pioram a qualidade e a expectativa de sobrevida.

Nos pacientes idosos com diabetes, por apresentarem complicações, pode- se identificar uma ou mais Síndromes Geriátricas (SG). Síndrome Geriátrica é o nome que se dá a uma associação complexa de doenças e condições associadas ao envelhecimento.

As principais Síndromes Geriátricas identificadas no idoso com diabetes são:

Incapacidade funcional: o paciente idoso diabético possui uma menor capacidade em realizar atividades diárias em relação ao idoso não diabético. E essa capacidade diminui com o avançar da idade;

Depressão: estudos epidemiológicos têm indicado que indivíduos diabéticos apresentam uma prevalência 10 a 30% maior de desenvolver um quadro depressivo.

Quedas: pacientes idosos com Diabetes Mellitus apresentam maior frequência quedas com fraturas. As quedas  são multifatoriais e no caso do paciente diabético, estão  relacionadas à piora na visão, perda de força  e massa muscular, lesões neuropáticas, obesidade e hipoglicemia.

Incontinência urinária: pacientes idosos com Diabetes Mellitus apresentam maior incidência de urge-incontinência urinária. Essa condição está geralmente associada à perda de tônus muscular e esfincteriano e ao comprometimento neuropático secundário ao efeito deletério dos níveis anormais e oscilantes de glicose no sangue.

Desnutrição: a perda de peso é frequentemente observada em pacientes idosos diabéticos. Tem um mecanismo complexo, envolvendo um estado inflamatório crônico que consome massa muscular e tecido adiposo.

Insuficência cognitiva: os níveis oscilantes de glicose são tóxicos também aos neurônios. O Diabetes é um importante fator de risco para o desenvolvimento de demências, inclusive a Demência de Alzheimer

O Diabetes Mellitus, portanto, é uma condição que vai além dos níveis altos de glicose no sangue. Afeta o organismo de forma progressiva e sistêmica. No idoso, é uma condição que contribui para a piora funcional e cognitiva.

Diabetes Mellitus e as consequências no Idoso
5 (100%) 1 vote
Tags
Mostre mais

Dra. Jaqueline Souza Lacerda

Dra. Jaqueline Souza Lacerda é geriatra e fundadora do Projeto Cuidar – Geriatria Goiânia (https://geriatriagoiania.com.br). CRM-GO: 18043 RQE: 12041

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *