Goiânia

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada
Jornal Opinião Goiás
Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada
5 (100%) 21 votes

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada. Suspeitado de cometer o assassinato, um vizinho do prédio de 13 anos e colega de escola confessa o crime ao coordenador da escola

Jornal Opinião Goiás: 31/08/2017 – 22:42

A mãe da adolescente Tamires Paula de Almeida, 14 anos, assassinada na escada do prédio onde morou no Jardim América, em Goiânia, Maria Paula de Almeida, 43 anos, diz que não pode esquecer o dia em que sua filha morreu. Ela lembra que viu o corpo da filha e se desesperou. “Não consigo esquecer sua imagem na escada”, disse ela.

Suspeitado de cometer o assassinato, um vizinho do prédio de 13 anos e colega de escola confessa que esfaqueou a garota para o coordenador da escola. Ele foi detido e hospitalizado temporariamente.

Recordando a morte de sua filha, Maria Paula disse que naquele dia, a adolescente disse adeus normalmente e saiu para ir à escola. Algum tempo depois, ela ouviu gritos de uma mulher batendo contra a parede. Então, Maria saiu do apartamento para ver o que estava acontecendo.

“Eles me pediram para levar uma cadeira para esta senhora. Ela era a mãe do menino que matou minha filha, mas até então eu não sabia. No momento em que não entendi, a polícia chegou e foi na escada. Até que eu viu seu chinelo branco perto da porta. Eu me aproximei e vi minha filha em uma poça de sangue “, disse ela.

Desesperada, Maria disse que estava gritando e pedindo ajuda para quem estava lá para verificar se a menina ainda estava viva.

“Ela morreu sozinha na escada. Ela estava tão perto de mim e eu não podia fazer nada. Ela deve ter gritado, implorou por ajuda e eu estava a metros dela. Até hoje, eu finjo que estou vivendo um pesadelo” lembrou, com muita emoção.

A mãe também lembrou que ela protegeu sua filha de todas as maneiras possíveis, não permitindo que ela fosse embora sem a supervisão de um adulto, ou à noite. Ela diz que tem muito medo de violência. “Eu não moro em casa por medo de roubo. Eu não pensei que ela estava morando no mesmo prédio que um assassino”, desabafou ela.

A mãe de Tamires relata que está muito abalada e desde então é ajudada por parentes e amigos. Ela afirma que não pode mais morar no prédio onde sua filha foi morta e deve se mudar.

Convencida de que o vizinho premeditou o crime, ela pede ao autor que pague pela morte de sua filha e busca entender os motivos do assassinato.

“Não há nenhuma razão para ele fazer isso. Ela era apenas uma criança, cheia de sonhos, de vontade de viver. Eu não o vejo como um doente, eu o vejo como um criminoso. Eu quero que ele fique preso os três anos, que é o que a lei permite. Eu sobreviverei para lutar pela justiça para minha filha “, disse ela.

Perguntada se perdoaria o autor pela morte de sua filha, ela disse: “Eu não posso responder isso agora. Ele a esfaqueou na boca para o queixo. Ele não apenas levou a vida, também pegou sua beleza”.

Maria lembrou que sua filha estava esperando que o boletim da escola saísse, já que ela ganharia dos padrinhos R $ 10 por cada nota 10. Após a morte da adolescente, sua mãe procurou os resultados da filha na escola, o que prova sua dedicação aos estudos.

“Ela era uma ótima aluna. Ela sempre estava lendo, tinha pilhas e pilhas de livros. Ela queria ser uma psicóloga, ela já estava preparada para fazer o Enem. Ela era uma garota muito boa, tinha uma alma boa”, afirmou ela.

Além do esforço na escola, a mãe lembra que sua filha gostava muito de se vestir e encorajou sua mãe a cuidar de si mesma. “Ela era uma grande maquiadora. Ela fazia maquiagem nela e dizia: ‘Venha aqui, mãe’, para fazer em mim também. Apenas as unhas, eu não a deixaria fazer”, disse ela.

A mãe também lembra que ela se mudou para o prédio onde mora pensando na sua filha, que estava deixando Pires do Rio para ir morar com ela em Goiânia.

“Eu morava em outro bairro, era um lugar mais distante e feio. Achei que, quando ela se mudasse para cá, ela gostaria de estar em um setor mais bonito, então eu comprei este apartamento. Este ano e meio que moramos juntas foi maravilhoso. Era só nós, eu estava ensinando ela a cozinhar, porque se ela quisesse viver sozinha quando crescer, ela ia saber “.

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Reprodução

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Reprodução

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Reprodução

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Reprodução

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Reprodução

Goiânia: Mãe de Tamires não consegue esquecer a imagem da filha morta na escada

Reprodução

 

Goiânia, Goiás, Manchetes

 

Clique para adicionar o seu comentário

Deixe seu comentário:

Goiânia
Jornal Opinião Goiás
@opiniaogoias

Redação do Jornal Opinião Goiás.