Goiânia

Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime

Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime
Jornal Opinião Goiás
Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime
5 (100%) 14 votes

Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime. De acordo com a Polícia Civil d Estado de Goiás, no momento do crime, Waiton Marques Macedo inventou que a esposa, Nayara Ramos Leão, tinha sido vítima de criminosos que teriam tentado atacá-la

29/08/2017 – 20:24:18

Nesta terça-feira (29), um pedreiro de 32 anos foi preso e confessou matar sua esposa, uma assistente administrativa de 24 anos, com uma facada no peito, dentro de seu carro em Goiânia.

De acordo com a Polícia Civil d Estado de Goiás, no momento do crime, Waiton Marques Macedo inventou que a esposa, Nayara Ramos Leão, tinha sido vítima de criminosos que teriam tentado atacá-la. Porém, a versão foi desconstruída depois que a faca usada por ele no homicídio foi encontrada dentro da fossa séptica da casa, localizada no Conjunto Baliza. A alegação é que a mulher pediu um divórcio.

Waiton foi apresentado à imprensa na terça-feira (29) nna Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH). Ele apenas assentiu quando perguntado se ele estava arrependido e acabou de dizer, “A justiça está sendo feita”.

Segundo informações do delegado Danillo Proto, responsável pelo caso, o pedreiro disse que a mulher tinha sido abordada por dois homens em uma motocicleta ao sair de casa para trabalhar. Eles teriam anunciado o assalto, mas acabaram por não tomar nada, mataram Nayara e fugiram. O marido ainda levou a mulher ao hospital, mas já chegou no local sem vida. O único filho de quatro anos estava na casa, mas não viu o que aconteceu.

No decurso da investigação, no entanto, a polícia começou a notar contradições na versão. Dois deles motivaram, essencialmente, uma mudança de direção na apuração.

“Ele afirmou ter desatado o cinto da mulher depois que ela se machucou para levá-la ao hospital, mas a perícia descobriu que ela mesma liberou após a facada e correu para fugir dele, mas depois caiu. Outro ponto era a arma que ele disse que viu com os supostos criminosos, que não combinavam com a ferida “, explica ele.

A corporação começou a trabalhar com essa linha de raciocínio e descobriu a faca utilizada no crime dentro de uma fossa da casa. Diante disso, um mandado de prisão pela justiça foi emitido na última sexta-feira (25), em Samambaia (DF). O delegado revelou que ele estava tentando escapar para Piauí, sua terra natal.

Quando ele foi preso, Waiton confessou o crime e alegou ter cometido isso porque sua esposa, que ele havia casado há 10 anos, pediu o divórcio. “Ela não o queria mais e ela teve interesse em seguir sua vida separada. Ele não aceitou e executou ela”, diz ele.

O pedreiro também disse que planejava o crime. Geralmente, ele abriu o portão para que ela partisse cedo para trabalhar. No dia do crime, ele pegou a faca, armazenou-a na cintura e quando a vítima iria acelerar foi golpeada.

O homem responderá pelo crime de feminicídio. Se for condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.

Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime

Reprodução

Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime

Reprodução

Em Goiânia, pedreiro que inventou que mulher foi morta em um assalto confessa o crime

Reprodução

 

Goiânia, Goiás, Manchetes

 

Clique para adicionar o seu comentário

Deixe seu comentário:

Goiânia
Jornal Opinião Goiás
@opiniaogoias

Redação do Jornal Opinião Goiás.