Política

CCJ rejeita relatório que recomenda aceitação de denúncia contra Temer

CCJ rejeita relatório que recomenda aceitação de denúncia contra Temer
Imprensa
CCJ rejeita relatório que recomenda aceitação de denúncia contra Temer
Avalie esta postagem

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) recomendou nesta quinta-feira o arquivamento da denúncia de corrupção que poderia resultar no impeachment do presidente Michel Temer. Mesmo com a rejeição do relatório que recomenda a denúncia, o plenário da Câmara dos Deputados votará sobre o prosseguimento ou não do caso.

A posição favorável ao governo obteve 40 votos na CCJ, contra 25 que queriam encaminhar a denúncia formulada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão da CCJ foi no sentido contrário ao do relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendava o prosseguimento da denúncia.

A votação no plenário da Câmara ainda não tem data prevista, mas o governo tenta acelerar os prazos, votando entre sexta e segunda-feira, no limite do recesso parlamentar. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), disse nesta tarde que a votação poderá ser adiada para agosto.

Apesar das divergências internas em sua base aliada, Temer tem demonstrado confiança no arquivamento do caso. O presidente foi acusado de receber um suborno de 500.000 reais da JBS através de Rodrigo Rocha Loures, seu assessor fotografado recebendo uma maleta com o dinheiro antes de ser preso. O Ministério Público afirma que essa quantia era destinada a Temer, que nega categoricamente.

“Voto não a esse processo injusto”, disse Carlos Marun, do PMDB de Temer, que liderou a batalha que deu a vitória ao Palácio do Planalto.

“Não estamos dizendo que ele é culpado ou inocente, condenando ou não, mas temos que dizer sim que distribuir bilhões de reais é obstrução da Justiça, usar dinheiro público para que deputados venham aqui através de emendas e cargos, votar a favor do arquivamento… é inadequado”, disse Zveiter.

Se a denúncia chegar ao STF e os 11 ministros votarem pela continuidade do processo, Temer será suspenso por até 180 dias e Maia assumirá o cargo.

O Ministério Público avalia ainda apresentar outras denúncias contra Temer por obstrução à justiça e associação criminosa.

 

AFP
Clique para adicionar o seu comentário

Deixe seu comentário:

Política
Imprensa
@opiniaogoias

Conteúdo da Imprensa